Metodologias Ativas e o ensino de Biologia: desafios e possibilidades no novo Ensino Médio

Eliane de Lourdes Fontana Piffero, Renata Godinho Soares, Caroline Pugliero Coelho, Rafael Roehrs

Resumo


Por metodologias ativas, entendemos os métodos, técnicas e estratégias que o professor utiliza para converter o processo de ensino em atividades que incentivem a participação ativa do aluno e levem à aprendizagem. Este estudo tem por objetivo investigar o contexto do ensino da Biologia na percepção de professores diante das demandas do Novo Ensino Médio, o qual propõe que o aluno tenha um itinerário próprio de aprendizagem e como as metodologias ativas podem contribuir nos resultados esperados nesta etapa de ensino. A pesquisa tem caráter descritivo exploratório com abordagem qualitativa, com uso de um questionário online para coleta de dados. Os dados foram analisados usando como referência as Competências e Habilidades da BNCC a as Diretrizes Curriculares do EM, buscando interferências específicas. Os resultados revelam, que muitos professores ainda utilizam recursos padrões, como aulas expositivas, e que sentem falta de modelos e referenciais teóricos para desenvolver metodologias mais atrativas.

DOI: https://doi.org/10.33871/23594381.2020.18.2.48-63 


Palavras-chave


Educação básica, formação de professores, metodologias de ensino.

Texto completo:

48-63

Referências


ABREU, J. R. P. Contexto Atual do Ensino Médico: Metodologias Tradicionais e Ativas - Necessidades Pedagógicas dos Professores e da Estrutura das Escolas. 2011. 105 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2009.

BACICH, L.; MORÁN, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico prática. Porto Alegre: Penso, 2018, p. 1-25.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. rev. e atual. Lisboa: Edições 70, 2011.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 2011, 32(1), 25-40.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio) Parte III Ciências da Natureza, Matemáticas e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2000 Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencian.pdf Acessado em maio de 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular – Ensino Médio. Documento homologado pela Portaria n° 1.570, publicada no D.O.U. de 21/12/2017, Seção 1, Pág. 146. Brasília, 21 de dezembro de 2017. 2017b.

BRASIL. Resolução CNE Nº 3 DE 21 DE NOVEMBRO DE 2018. Atualiza as Diretrizes Curriculares para o Ensino Médio. Brasília, DF publicada no DO de 22/11/2018, Seção 1,pp 21-24. Brasília, 22 de novembro de 2018a.

BRASIL. PORTARIA Nº 1.432, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018. Referenciais Curriculares para a Elaboração dos Itinerários Formativos. Brasília, DF publicada no DO de 31/12/2018 31-12-2018 Seção 1, Pág. 60. Brasília, 31 de dezembro de 2018b.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Brasília, DF: Senado Federal, 2017b. Disponível em: . Último acesso em: 05/01/2020.

CAMARGO, F.; DAROS, T. A sala de aula inovadora: estratégias pedagógicas para fomentar o aprendizado ativo. Porto Alegre: Penso, 2018.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. 4. ed. São Paulo/Brasília (DF): Cortez/Unesco; 2000. p. x-y.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, v. 14, n. 1, p. 268-288, 2017.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 51ªed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 2015.

FURLANI, C; OLIVEIRA, T. B. O ensino de ciências e biologia e as metodologias ativas: o que a BNCC apresenta nesse contexto? In: Simpósio Internacional de Linguagens Educativas, 2018, Bauru. Anais... Disponível em: . Último acesso em: 01/04/2020.

GADOTTI M. Perspectivas atuais da educação. São Paulo Perspectivas [serial on the internet]. 2000 [cited 2016 Nov 12];14(2):3-11. Available from: http://www.scielo.br/pdf/ spp/v14n2/9782.pdf

GEMIGNANI, E. Y. M. Y. Formação de professores e metodologias ativas de ensino-aprendizagem: ensinar para a compreensão. Fronteiras da Educação, 1(2), 2013. DOI: https://bit.ly/37Dp0oc

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GROSSI, M. G. R.; FERNANDES L. C. B. E. Educação e tecnologia: o telefone celular como recurso de aprendizagem. EccoS Revista Científica, n. 35, p. 47-65, set./dez. São Paulo, 2014.

IDEB, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Ministério da Educação. Disponível em: http://ideb.inep.gov.br/resultado/resultado/resultadoBrasil.seam?cid=614878 Acessado em maio de 2020.

IMBERNÓN, F. Formação Profissional e Docente: Formar-se para a Mudança e a Incerteza. 2011.

KRASILCHIK, M. O professor e o currículo das Ciências. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2007. Prática de ensino de Biologia. Quatro ed. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2004.

LOPES, P. A.; PIMENTA, C. C. C. O uso do celular em sala de aula como ferramenta pedagógica: Benefícios e desafios. Revista Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica, Recife, v. 3, n. 1, p. 52-66, 2017.

MACEDO, K. D.; ACOSTA, B. S.; SILVA, E.; SOUZA, N.; BECK, C. C.; SILVA, K. Metodologias ativas de aprendizagem: caminhos possíveis para a inovação no ensino em saúde. Escola Anna Nery, v. 22, n. 3, 2018.

MORÁN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas - Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, v. 2, 2015. Disponível em: . Último acesso em: 21/01/2020.

MORAN, J. M. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, p. 02-25, 2018.

NASCIMENTO, M. C.; GOMES, G. R. R. Teaching continuing training for the use of ICT in the teaching and learning process. Research, Society and Development, 9(2), 2020.

PAIVA, M. R. F.; et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. SANARE-Revista de Políticas Públicas, v. 15, n. 2, 2016.

SOARES, R. G.; ENGERS, P. B.; COPETTI, J. Formação docente e a utilização de metodologias ativas: uma análise de teses e dissertações. Ensino & Pesquisa, 2019.

VIÇOSA, C. S. C. L.; et al. Metodologia da Problematização com o Arco de Maguerez: saberes de professores pertencentes à Tríplice Fronteira entre Argentina, Brasil e Uruguai. Ensino & Pesquisa, 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.