A política de formação de professores-educadores para o campo na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Jucélia Oliveira Santos, Rosineide Pereira Mubarack Garcia

Resumo


Este artigo integra uma pesquisa de mestrado e tem como objetivo analisar a implementação da política de formação em Licenciatura em Educação do Campo (LEDOC) na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), dando ênfase ao modelo da Pedagogia da Alternância. A discussão teórica baseou-se em autores como Arroyo (2004; 2007; 2010; 2012), Antunes-Rocha (2010), Molina (2010; 2015), Bicalho (2018), entre outros. A pesquisa foi pautada na abordagem qualitativa, do tipo exploratória, com estudo de caso. Utilizou-se como instrumento de coleta de dados a análise documental, o questionário com docentes e estudantes e a realização de entrevista com os coordenadores dos cursos de LEDOC ofertados na UFRB. Os principais resultados da investigação indicaram a Pedagogia da Alternância como uma estratégia metodológica de caráter inovador, que tem favorecido o acesso e a permanência de campesinos trabalhadores na universidade, bem como proporcionado experiências magníficas e impactos de caráter individual e, sobretudo, coletivo, envolvendo as comunidades de origem e/ou do local de trabalho dos licenciandos. Nesse conjunto está inclusa a modificação de modos de pensar e de fazer acontecer a vida e a produção no campo, enfatizando a dimensão humana necessária à convivência em grupo, ao mesmo tempo em que resgata e mantêm vivos hábitos e costumes inerentes à cultura diversificada dos povos do campo, tão importantes quanto a de outros coletivos sociais. Entretanto, por ser uma experiência nova para a universidade, algumas dificuldades têm surgido durante a sua execução, as quais têm levado a equipe envolvida a repensar a forma como as atividades encontram-se organizadas nos projetos dos cursos. 

DOI: https://doi.org/10.33871/23594381.2020.18.2.79-107


Texto completo:

79-107

Referências


ALENCAR, M. F. S. Educação do Campo e a formação de professores: construção de uma política educacional para o campo brasileiro. Ci. & Tróp., Recife, v. 34, n. 2, p. 207-226, 2010.

ANTUNES-ROCHA, M. I. Desafios e perspectivas na formação de educadores: reflexões a partir do curso de licenciatura em educação do campo desenvolvido na FAE/UFMG: In: SOARES, Leôncio et al. (Orgs.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010, p. 389-406.

ARROYO, M. G. Educação básica e movimento social do Campo. In: ARROYO, M.G.; CALDART, R.; MOLINA, M. Por uma educação do campo. Petrópolis: Vozes, 2004. p. 65-86.

______. Políticas de formação de educadores(as) do campo. Cad. Cedes, Campinas, vol. 27, n. 72, p. 157-176, maio/ago. 2007.

______. Educação do campo: movimentos sociais e Formação docente. In: SOARES, Leôncio et al.(Orgs.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 478-488.

______. Formação de educadores do campo. In: CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P.; FRIGOTTO, G. Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Expressão Popular, 2012. p. 359-365.

BICALHO, R. Reflexões sobre o Procampo – Programa de Apoio à Formação Superior em Licenciatura em Educação do Campo. EccoS – Revista Científica, São Paulo, n. 45, p. 221-236. jan./abr. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.5585/EccoS.n45.7783. Acesso em: 10 abr. 2018.

BRASIL, Parecer CNE/CEB Nº 01, de 1º de fevereiro de 2006. Assunto: dias letivos para a aplicação da Pedagogia de Alternância nos Centros Familiares de Formação por Alternância (CEFFA). Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/mn_parecer_1_de_1_de_fevereiro_de_2006.pdf. Acesso em: 22 mar. 2018.

______. Ministério da Educação. Edital de seleção nº 02/2012 - SESU/SETEC/SECADI/MEC, de 31 de agosto de 2012. Brasília, 2012. Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/edital_%2002_31082012.pdf. Acesso em: 7 mar.

______. Portaria Nº 86, de 1º de fevereiro de 2013. Institui o Programa Nacional de Educação do Campo - PRONACAMPO. Brasília, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13218-portaria-86-de-1-de-fevereiro-de-2013-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 7 mar. 2018.

______. Ministério da Educação (MEC). Cursos têm etapas em sala de aula e prática na comunidade. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/32257. Acesso em: 10 maio 2018.

BRITO, M. M. B. O Acesso à Educação Superior pelas populações do campo, na universidade pública: um estudo do Pronera, Procampo e Parfor, na Universidade Federal do Pará. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) - Instituto de Ciências da Educação, Universidade Federal do Pará, Belém, 2013.

CALDART, R. S. Educação do Campo. In: CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P.; FRIGOTTO, G.(Orgs.) Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Expressão Popular, 2012. p. 257-265.

CARVALHO, M. S. Realidade da educação do campo e os desafios para a formação de professores da educação básica na perspectiva dos movimentos sociais. 2011. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011.

I CONFERENCIA NACIONAL POR UMA EDUCAÇÃO DO CAMPO – CNEC: Compromissos e desafios. 1998, Luziânia. (Declaração final). Disponível em: file:///C:/Users/Juci/Downloads/Conferencia%20Nacional%20Por%20Uma%20Educacao%20Basica%20do%20Campo%20-%201998%20-%20Compromissos%20e%20desafios.pdf. Acesso em: 2 fev. 2019.

II CONFERENCIA NACIONAL POR UMA EDUCAÇÃO DO CAMPO – CNEC: Por Uma Política Pública de Educação do Campo. 2004, Luziânia. Disponível em: file:///C:/Users/Juci/Downloads/declaracion-II-conferencia-educacao-campo.pdf. Acesso em: 2 fev. 2019.

HAGE, S. A. M.; SILVA, H. S.; BRITO, M. M. B. Educação Superior do Campo: Desafios para a consolidação da licenciatura em educação do campo. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 32, n. 4, p. 147-174, 2016.

HERNÁMDEZ SAMPIERI, R.; COLLADO, C. F.; LUCIO, M. P. B. Metodologia de Pesquisa. Tradução: Daisy Vaz de Moraes. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censo Escolar, 2018. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/resultados-e-resumos. Acesso em: 5 jun. 2019

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Resumo Técnico Censo da Educação Básica 2018. Brasília: MEC, 2019. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/resumos_tecnicos/resumo_tecnico_censo_educacao_basica_2018.pdf. Acesso em: 5 jun. 2019.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. Abordagens qualitativas de pesquisa: a pesquisa etnográfica e o estudo de caso. In: ______. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária LTDA, 1986.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica – 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MOLINA, M. C. Gênese do Programa Residência Agrária. In: ¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬MOLINA, M. C.; ESMERALDO, Gema Galgani S. L.; NEUMANN, P. S.; BERGAMASCO, Sonia Maria P. P. (Orgs). Educação do Campo e formação profissional: a experiência do Programa Residência. Brasília: MDA, 2009, p. 17-28.

______.; SÁ, L. M. Desafios e perspectivas na formação de educadores: reflexões a partir Da licenciatura em educação do campo da Universidade de Brasília. In: SOARES, Leôncio et al.(Org.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010, p. 369-388.

______.; ANTUNES-ROCHA, M. I. Educação do Campo: História, Práticas e Desafios No Âmbito das Políticas de Formação de Educadores – Reflexões Sobre o Pronera e o Procampo. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 22, n. 2, p. 220-253, jul./dez. 2014.

______. Expansão das licenciaturas em Educação do Campo: desafios e potencialidades. Educar em Revista, Curitiba, n. 55, p. 145-166, jan./mar. 2015.

______.; HAGE, S. M. Política de formação de educadores do campo no contexto da expansão da educação superior. Revista Educação em Questão, Natal, v. 51, n. 37, p. 121-146, 2015.

PIMENTEL, A. O método da análise documental: Cadernos de pesquisa. Seu uso numa pesquisa historiográfica, n. 114, nov., p. 179-195, 2001.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2. ed. Universidade Feevale – Novo Hamburgo, 2013. E-book. Disponível em: http://www.feevale.br/Comum/midias/8807f05a-14d0-4d5b-b1ad-1538f3aef538/E book%20Metodologia%20do%20Trabalho%20Cientifico.pdf. Acesso em: 2 ago. 2019.

RIBEIRO, M. Pedagogia da Alternância na Educação Rural/do Campo: projetos em disputa. Educação e pesquisa, São Paulo, v. 34, n. 1, p. 27-45, jan./abr. 2008.

SÁ, L. M.; MOLINA, M. C. M.; BARBOSA, A. I C. A produção do conhecimento na formação dos educadores do campo. Em Aberto, Brasília, v. 24, n. 85, p. 81-95, 2011.

SANTOS, R. B.; SILVA, M. A. Políticas públicas em educação do campo: Pronera, Procampo e Pronacampo. Revista Eletrônica de Educação, v. 10, n. 2, p. 135-144, 2016.

SARTORI, J.; SILVA, D.; PAGLIARIN, L. L. P. A pedagogia da alternância como possibilidade formativa nas licenciaturas em educação do campo. Revista de Educação, Ciência e Cultura. Canoas, v. 24, n. 1, p. 41-52, mar. 2019.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, L. H. Concepções, práticas e dilemas nas escolas do campo: a Alternância Pedagógica em foco. In: SOARES, Leôncio et al.(Org.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010, p. 425-440.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4.

ed. Florianópolis: UFSC, 2005. Disponível em: https://projetos.inf.ufsc.br/arquivos/Metodologia_de_pesquisa_e_elaboracao_de_teses_e_dissertacoes_4ed.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação – O Positivismo, a Fenomenologia, o Marxismo. São Paulo: Atlas, 2006.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA- UFRB. Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade (CETENS). Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Educação do Campo com Habilitações em Ciências da Natureza e Matemática. Feira de Santana, 2013.

______. Centro de Formação de Professores (CFP). Projeto Pedagógico do Curso Licenciatura (Plena) em Educação do Campo - Área do Conhecimento Ciências Agrárias. Amargosa, 2013.

______. Edital n° 016/2013. Processo seletivo para preenchimento de vagas nos cursos de Educação do Campo e Tecnólogo em Agroecologia. 2013. Disponível em: https://www.ufrb.edu.br/portal/component/chronoforms5/?chronoform=ver-prosel&id=1010. Acesso em: 26 jul. 2019.

______. Pró-Reitoria de Graduação. Relatório de Gestão Setorial do Exercício de 2014. Cruz das Almas, 2015. Disponível em: https://www.ufrb.edu.br/prograd/relatorios-de-gestao. Acesso em: 26 jul. 2019.

______. O curso. Disponível em: https://www.ufrb.edu.br/educacaodocampocfp/quickstart. Acesso em: 20 fev. 2019.

______. Assessoria de Comunicação. UFRB em números. Cruz das Almas: UFRB, 2018.

______. Pró-Reitoria de Planejamento. UFRB em números, 2018. Disponível em: https://www.ufrb.edu.br/proplan/ufrb-em-numeros/category/31-ufrb-em-numeros-2018 Acesso em: 20 fev. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.