OS CURRÍCULOS DE MATEMÁTICA MOLDADOS, EM AÇÃO E REALIZADOS: UMA ANÁLISE DA COMBINATÓRIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Autores

Resumo

Apresenta-se um recorte dos principais achados de um estudo de doutorado que analisou, à luz da Teoria dos Campos Conceituais (VERGNAUD, 1986), o trabalho com a Combinatória nos currículos moldados, em ação e realizados postos em prática por dois professores da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Para tal, foram feitas entrevistas, solicitados e analisados planos de ensino, observadas aulas de Combinatória e efeitos da prática de ensino. Constatou-se que os professores evidenciaram  pouco conhecimento do conteúdo, de sua abordagem em materiais curriculares e de seus processos de ensino e aprendizagem. Entretanto, na modelação, propuseram diferentes situações combinatórias, seus invariantes e variadas representações simbólicas. Percebeu-se que os professores contemplaram em seus currículos em ação diferentes situações de Combinatória, sendo no 1º segmento apenas produtos de medidas e quatro tipos de situação no 2º segmento. Os invariantes foram contemplados no desenvolvimento de suas aulas, bem como o uso de desenhos, imagens, listagens e árvores de possibilidades como representações simbólicas. No tocante aos efeitos das práticas, tanto os estudantes como os professores evidenciaram aprendizagens com desenvolvimento de estratégias de sistematização dos dados contidos nos problemas. Conclui-se serem necessários aprofundamentos nos distintos segmentos da EJA, no que diz respeito aos currículos moldados, em ação e realizados – em particular quanto às situações combinatórias tratadas, seus invariantes e modos de representação simbólica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BORBA, R. O Raciocínio Combinatório na Educação Básica. Anais do X Encontro Nacional de Educação Matemática – ENEM. Bahia, 2010.

BORBA, R.; PESSOA, C.; ROCHA, C.; ASSIS, A. A formação de professores de anos iniciais do Ensino Fundamental para o ensino da Combinatória. Revista Paranaense de Educação Matemática. Campo Mourão, PR, v. 3, n. 4, jan.- jun. pp.115-137. 2014.

BRASIL. Educação para Jovens e Adultos: ensino fundamental: proposta curricular - 1º segmento. Brasília: MEC, 2001.

CONTRERAS, D.J. Que e como ensinar? O curriculum como local de experimentação e área de conflito. Quina. 1989.

CUNHA, M.; LIMA, A. P.; ROCHA, C. Raciocínio combinatório: compreensão dos professores dos anos finais do Ensino Fundamental. Anais 21. In: Encontro de Pesquisa Educacional do Norte e Nordeste - EPENN. Recife.2013.

FIORENTINI, D.; NACARATO, A. (orgs.). Cultura, formação e desenvolvimento profissional de professores que ensinam matemática: investigando e teorizando a partir da prática. Musa Editora, São Paulo, 2005.

FONSECA, M.C. F.R. Educação Matemática de Jovens e Adultos. Belo Horizonte/MG: Autêntica, 2002.

LIMA, A. P. Princípio Fundamental da Contagem: Conhecimentos de professores de Matemática sobre seu uso na resolução de situações combinatórias. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica), Universidade Federal de Pernambuco. UFPE. Recife, 2015.

LIMA, E.T.; Borba, R. Relações entre o Raciocínio Combinatório e o Raciocínio Probabilístico na EJA. Revista Paranaense de Educação Matemática, v. 7, p. 33-60, 2018.

MARTINS, G; BORBA, R. Do prescrito ao apresentado: A Combinatória no currículo dos anos iniciais da EJA. Revista Perspectiva em educação Matemática, v.15, n.36, 2021.

PESSOA, C.; BORBA, R. Quem dança com quem: o desenvolvimento do raciocínio combinatório de crianças de 1a a 4a série. Zetetiké – Cempem – FE – Unicamp, v. 17, jan - jun, p.105-147. 2009.

ROCHA, C. Formação docente e o ensino de problemas combinatórios: diversos olhares, diferentes conhecimentos. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica). Universidade Federal de Pernambuco. UFPE. – Recife, PE, 2011.

SACRISTÁN, J. G.; GÓMEZ, P. A. I. Compreender e transformar o ensino. 4º ed. São Paulo: Artmed, 1998.

SACRISTÁN, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed., Porto Alegre: Artmed, 2000.

SACRISTÁN, J. G. Saberes e incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso, 2013.

SHÖN, D. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SHULMAN, L. S. Conocimiento y enseñanza: fundamentos de la nueva reforma. Profesorado. Revista de Currículum y Formación de Profesorado. v.9, n.2, Granada, España, pp.1-30, 2005.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

VERGNAUD, G. A classification of cognitive tasks and operations of thought involved in addition and subtraction problems. In: Carpenter, Thomas, Moser,Joseph &Romberg, Thomas. (Eds.), Addition and subtraction: a cognitive perspective. Hillsdale, N. J.: Lawrence Erlbaum, 1982

VERGNAUD, G. Psicologia do desenvolvimento cognitivo e didática das matemáticas. um exemplo: as estruturas aditivas. Análise Psicológica, 1, p. 75-90. 1986.

____________. A teoria dos campos conceptuais. Em J. Brum (org.) Didáctica das Matemáticas (155-191). Lisboa: Horizontes Pedagógicos.1996.

____________. Teoria dos campos conceituais. ln: Anais do 1° Seminário Internacional de Educação Matemática do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1999 (tradução).

Downloads

Publicado

06-06-2022

Como Citar

Martins, G. V. ., & Borba, R. E. de S. R. . (2022). OS CURRÍCULOS DE MATEMÁTICA MOLDADOS, EM AÇÃO E REALIZADOS: UMA ANÁLISE DA COMBINATÓRIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS. REVISTA PARANAENSE DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 11(24), 62–82. Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/rpem/article/view/6724

Edição

Seção

Artigos Científicos