[1]
I. Giehl e R. R. da Silva, “O editor nômade: o processo de edição de ví­deo enquanto prática coreográfica permeada por uma lógica da errância”., Mosaico, nº 22, maio 2022.