PERFORMANCES E ESTRATÉGIAS DE SOBREVIVÊNCIA EM RETTAMOZO

Autores

  • Daniele Cristina Viana

Resumo

O presente artigo analisa as performances "Quem tem Q.I. vai" , "Santí­ssimatrindade" e "Billy de Liar" , do artista Luiz Rettamozo enquanto "estratégias de sobrevivência" ,hipótese presente na Teoria Geral dos Sistemas, compreendida a partir das discussõestrazidas por Jorge Albuquerque Vieira. As performances foram realizadas no ano de 1987,em Curitiba, divulgadas em duas matérias jornalí­sticas escritas por Adélia Maria Lopes eRosirene Gemael, matérias que são a fonte principal desse artigo. Entende-se as décadasde 1970 e 1980 enquanto momento de "crise" , a qual é geradora de reflexões e atuaçõesque visam lidar com contexto bastante afetado pelo mercado capitalista e recente liberdadeproporcionada pelo fim do governo ditatorial. Questões essas que trazem pistas para acompreensão de caracterí­sticas das performances e propostas que suscitam sobre contextoexperienciado, sobre relação entre passado e presente e também discurso sobre o contextoartí­stico. Configurando-se proposta performativa que envolve tanto artista quanto o trabalhode jornalistas culturais, que são estratégias para lidar com tal contexto de crise. Assimentende-se "estratégia de sobrevivência" como a escolha de caminhos para a efetivação doacontecimento artí­stico, que seria a interação com público, mantendo-se fluxo e significaçãocom o contexto social e artí­stico vivenciado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Viana, D. C. (2021). PERFORMANCES E ESTRATÉGIAS DE SOBREVIVÊNCIA EM RETTAMOZO. O Mosaico, (20). Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/mosaico/article/view/4145