LUMINÁRIA https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/luminaria <p>A revista Luminária é um periódico semestral vinculado ao Centro de Ciências Exatas e Biológicas da Universidade Estadual do Paraná – UNESPAR, campus de União da Vitória. Trata-se de uma revista cientí­fica de caráter interdisciplinar com finalidade de publicar artigos cientí­ficos das diferentes áreas de conhecimento, incluindo as Ciências Exatas e Biológicas. Participam deste periódico cientí­fico pesquisadores de diversas Instituições, sendo que a proposta primordial é oferecer a todos os interessados um espaço para divulgação de suas produções cientí­ficas, com o foco multidisciplinar. A Revista apresenta fluxo contí­nuo para submissão de textos.</p> Unespar, campus de União da Vitória pt-BR LUMINÁRIA 1519-745-X <p>Todas as informações, opiniões, dados, referências, citações e posicionamentos<br />expressos nos textos cientí­ficos publicados são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores/escritores, cabendo-lhes os elogios, as crí­ticas e as possí­veis conseqüências legais e jurí­dicas.Uma vez aceito para publicação, o autor concorda em ceder os direitos autorais da publicação do texto cientí­fico encaminhado à revista Luminária.</p> Compreensões sobre divulgação científica e o papel formativo do projeto de extensão Sporum segundo seus integrantes https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/luminaria/article/view/4683 <p>Nota-se a escassez de pesquisas que investiguem sobre como jovens divulgadores consideram sua participação em projetos de divulgação da ciência e quais são suas compreensões sobre esse tipo de divulgação. Neste sentido, esta investigação objetivou identificar e analisar o papel formativo do projeto de divulgação cientí­fica Nome (PET-Biologia-Instituição) segundo ativos e ex-integrantes do projeto e suas compreensões sobre divulgação cientí­fica. Os dados foram colhidos através de questionários com dezesseis sujeitos. Para a análise dos dados obtidos, foi utilizada a análise textual discursiva. Como resultado, os sujeitos pesquisados consideram que o projeto: os permitiu aperfeiçoar suas formas de comunicação, ampliou seus conhecimentos e contribuiu para o desenvolvimento de habilidades relativas à alteridade. Conceituam divulgação cientí­fica desde transmissão de conhecimentos cientí­ficos até veiculação de aspectos relativos à natureza da ciência. A importância da divulgação cientí­fica é justificada por fornecer informações para a população e contribuir para a emancipação do pensamento. Discute-se implicações destas atividades para a formação dos graduandos em Ciências Biológicas.</p> Otávio da Silva Custódio Adriana Mohr Copyright (c) 2022 2022-10-05 2022-10-05 Levantamento de estudos citogenéticos em formigas cultivadoras de fungos (Hymenoptera: Formicidae) Myrmicinae https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/luminaria/article/view/5024 <p>As formigas estão distribuídas no mundo todo, exceto nos polos e compõe a família Formicidae. Em formicídeos os estudos são em sua maioria taxonômicos e ecológicos. Dessa maneira, o trabalho objetivou realizar um levantamento dos estudos citogenéticos em formigas da tribo Attini, analisando as diferenças e semelhanças entre os cariótipos já descritos. Concomitantemente, analisar citogeneticamente a espécie <em>Acromyrmex coronatus </em>coletada no município de General Carneiro-PR e comparar com resultados de população de Viçosa-MG. Assim, estudos citogenéticos clássicos e moleculares auxiliam na compreensão evolutiva e taxonômica desse grupo. Para realizar o presente estudo, foram utilizados (livros, monografias, dissertações e teses) e com palavras chaves para serem encontradas na web através das fontes como Google Scholar e Scorpus. A filtração de tais materiais ocorreu no modelo de publicação, a língua (PT-EN-ES), e a análise ocorreu de maneira descritiva. Os resultados encontrados apontaram que dentro dos 17 gêneros pertencentes a tribo Attini, apenas dez possuem descrição cariotípica, com informações em sua maioria apenas para o número diploide (2n) e fórmula cariotípica (FC). Analisando o número de cromossomos na subfamília Myrmicinae, verifica-se uma grande variabilidade em <em>Mycocepurus goeldii </em>2n = 8 cromossomos a <em>Mycetarotes parallelus </em>2n = 54 cromossomos. Já os gêneros <em>Acromyrmex, Apterostigma, Chyphomyrmex</em> <em>Mycetarotes, Mycethopylax </em>e<em> Trachymyrmex</em> apresentaram uma maior variação em relação ao número diploide (2n = 12 a 54). Em contrapartida <em>Atta</em>, <em>Mycocepurus</em>, <em>Sericomyrmex</em> não foi verificado variação em relação ao número diplóide. Foi observado também que a maioria dos estudos foram realizados no Brasil no estado de Minas Gerais. A espécie <em>A. coronatus</em> coletada em General Carneiro-PR apresentou o mesmo 2n para a já descrita em Viçosa-MG.</p> Gabriel Siqueira Carneiro Rafael Stempniak Iasczczaki Fernando Rodrigo Doline Luísa Antônia Campos Barros Carla Andreia Lorscheider Copyright (c) 2022 2022-10-05 2022-10-05 Caderno de Resumos do Cesb 2022 https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/luminaria/article/view/7081 Copyright (c) 2022 2022-10-04 2022-10-04