https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/issue/feed Revista InCantare 2021-06-09T10:31:11-03:00 Rodrigo Aparecido Vicente revista.incantare@unespar.edu.br Open Journal Systems <p>A Revista InCantare é uma publicação semestral do Núcleo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares em Musicoterapia da Faculdade de Artes do Paraná. A revista foi criada no ano de 2010, intitulada NEPIM e no ano de 2012 foi renomeada para inCantare. Possui caráter interdisciplinar e dedica-se à publicação de artigos originais e inéditos de autores filiados a grupos de pesquisa, que tragam contribuições para o campo da Musicoterapia, da Música, da Educação, da Saúde e de áreas afins. Atualmente, a revista encontra-se indexada nas bases Sumários (nacional), Latindex (latino americano), e Copernicus (internacional). As contribuições enviadas pelos autores serão submetidas ao processo de revisão cega por pares de no mí­nimo dois relatores mais a revisão dos editores.</p> https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4234 CAPA 2021-06-09T10:30:24-03:00 CAPA CAPA revista.mosaico@unespar.edu.br Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4235 EXPEDIENTE 2021-06-09T10:30:26-03:00 EXPEDIENTE EXPEDIENTE revista.mosaico@unespar.edu.br Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4236 FOLHA DE ROSTO 2021-06-09T10:30:27-03:00 FOLHA DE ROSTO FOLHA DE ROSTO revista.mosaico@unespar.edu.br Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4237 FICHA CATALOGRÁFICA 2021-06-09T10:30:28-03:00 FICHA CATALOGRÁFICA FICHA CATALOGRÁFICA revista.mosaico@unespar.edu.br Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4238 SUMÁRIO 2021-06-09T10:30:29-03:00 SUMÁRIO SUMÁRIO revista.mosaico@unespar.edu.br Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4239 EDITORIAL 2021-06-09T10:30:30-03:00 EDITORIAL EDITORIAL revista.mosaico@unespar.edu.br Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/3795 A EXPERIÊNCIA DA SURDEZ NARRADA A PARTIR DE MÚLTIPLAS SENSORIALIDADES: PENSAMENTOS A PARTIR DE RELATOS AUTOBIOGRÁFICOS 2021-06-09T10:30:31-03:00 Janaina Cabello cabello.jana@gmail.com O trabalho apresenta dois relatos autobiográficos de uma pessoa surda a respeito de suas vivências e memórias e que são tomados como ponto de partida para pensar como essas narrativas singulares podem desenhar uma surdez mais à margem do que vem sendo construí­do por narrativas mais amplas, que ora apresentam a surdez como deficiência, como um corpo "que não funciona" , ora como diferença e, nessa direção, tendo fundamentalmente a lí­ngua de sinais como aspecto constitutivo de uma identidade surda única. Nesse sentido, discuto brevemente a necessidade da defesa da surdez como uma categoria semi-fictí­cia e semi-necessária, buscando através de um percurso metodológico que faz uso das narrativas autobiográficas como dispositivos para a (re)organização de representações sobre si, fazer reverberar também o que diz uma pessoa surda sobre suas memórias particulares e sobre suas vivências cotidianas, no exercí­cio de dar a ver modos singulares de compreensão e de experiência da surdez a partir de outras sensorialidades. 2021-06-09T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4242 ARTE & ADVERSIDADE: UMA ESPERANÇA EQUILIBRISTA PARA O ENSINO MÉDIO EM TEMPOS SOMBRIOS 2021-06-09T10:30:39-03:00 Denise Stefanoni Combinato revista.incantare@unespar.edu.br Ana Dair Moraes Ortiz Endrizzi revista.incantare@unespar.edu.br Dayse Rodrigues de Lima revista.incantare@unespar.edu.br Deborah Caroline Ramos Bahiense revista.incantare@unespar.edu.br Gislaine Aparecida dos Reis revista.incantare@unespar.edu.br Karina Aparecida de Camargo revista.incantare@unespar.edu.br <p>Considerando a possibilidade de a arte promover reflexão e alento em momentosde adversidade, o objetivo geral deste trabalho foi ampliar a experiência de estudantesdo Ensino Médio articulando arte e pandemia, tendo em vista o fortalecimento para oenfrentamento das adversidades ocasionadas pela pandemia da COVID-19, incluindoaspectos subjetivos, sociais e de ensino-aprendizagem. A partir da canção "O Bêbado e aEquilibrista" , composta por Aldir Blanc e João Bosco, buscamos discutir, refletir e criar comalunos de uma escola estadual de ensino integral através da participação em uma disciplinaeletiva com ensino remoto. Adotamos uma abordagem qualitativa pautada na pesquisaaçãoe fundamentada na Pedagogia histórico-crí­tica e Psicologia histórico-cultural. Após aapresentação e discussão da música – significados e contexto da composição, propomosa criação de paródias a fim de incentivar os alunos a expressarem seus sentimentos emforma de arte. Como resultado, identificou-se nos relatos e nas composições dos alunosexpressões de solidão, isolamento, perdas, medo, saudade e, ao mesmo tempo, esperançaem relação ao futuro. Destaca-se que, antes da atividade proposta, os sentimentos dosalunos eram predominantemente negativos e, após a expressão artí­stica, os sentimentosse transformaram e foram identificados a, por exemplo, feliz, calmo, tranquilo, entre outros.</p> Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/3686 PRÁTICA MUSICAL COLETIVA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DE MUSICOTERAPIA EM GRUPO 2021-06-09T10:30:51-03:00 Fernanda Soares Pasqual fernandapasqual@hotmail.com Rosemyiriam Ribeiro dos Santos Cunha rose05@uol.com.br <p>Por ser uma forma de expressão humana, a prática musical coletiva pode revelar formas de relacionamento que os participantes estabelecem com a realidade social e cultural de seu entorno. Em um contexto musicoterapêutico, essas informações são fundamentais para o desenvolvimento de processos de reabilitação social, cognitiva e emocional. Este trabalho trata-se uma revisão sistemática que investigou a produção sobre intervenções musicoterapêuticas em grupo, nos últimos dez anos. A busca foi feita em revistas especializadas em musicoterapia, publicadas em português e inglês, e em bases de dados. Foram selecionados 16 para análise e seus resultados foram sistematizados em uma tabela. Os dados mostraram que a prática da musicoterapia em grupo proporcionou melhora nos aspectos fí­sicos, cognitivos, emocionais e sócio-culturais dos participantes e contribuiu com compartilhamento de situações e manejo de práticas em grupo ao profissional musicoterapeuta.</p> 2021-06-09T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4042 DOENÇAS OCULARES MAIS COMUNS QUE AFETAM CRIANÇAS E ADOLESCENTES ATENDIDAS EM UM CENTRO DE ATENDIMENTO EM CURITIBA/PR 2021-06-09T10:30:58-03:00 Carlos Fernando França Mosquera carlos@carlosmosquera.com.br Lydio Roberto Silva lydioroberto@unespar.edu.br William Cordeiro Souza professor_williamsouza@yahoo.com.br Anne Caroline Goyos Nascimento annecsm51@gmail.com Suellen Costa Souza susucsouza@gmail.com <p>O presente estudo teve como objetivo verificar as doenças oculares mais comuns que afetam crianças e adolescentes de um Centro de Atendimento em Educação Especial em Curitiba/PR. Metodologicamente, utilizou-se a pesquisa descritiva e ex-post factual, que foi constituí­da por 224 adolescentes (125 meninos e 99 meninas), com idades entre 6 a 17 anos, que apresentavam patologias oculares. Para verificar as doenças mais comuns foram apreciados os prontuários dos avaliados, além dos dados sociodemográficos (idade e sexo). Para análise dos dados realizou-se a estatí­stica descritiva com cálculo das frequências absoluta/relativa e intervalos de confiança (IC) de 95%. Para a análise univariada foi realizado o teste Exato de Fisher. O ní­vel de significância utilizado como parâmetro foi o de 5%. Como resultado, observou-se que o estrabismo (<em>p</em>= 0,02) e a palidez papilar (<em>p</em>= 0,02) são as doenças que mais acometem a amostra estudada. Como conclusão, constatou-se que as doenças oculares mais comuns (significativas) que afetam crianças e adolescentes são o estrabismo e a palidez da papila.</p><p></p><p><strong>Palavras Chave</strong>: Adolescentes. Baixa Visão. Cegueira. Crianças. Oftalmopatias.</p><p></p> 2021-06-09T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4241 ENTREVISTA 2021-06-09T10:31:06-03:00 Marly Chagas revista.mosaico@unespar.edu.br Tiago Madalozzo revistadeartes.fap@unespar.edu.br <p>Entre os meses de março e abril de 2021, Rodrigo Vicente e Rosemyriam Cunha,professores(as) do bacharelado em Musicoterapia da UNESPAR, elaboraram uma série deperguntas com o objetivo de ouvir e conhecer as percepções de um(a) musicoterapeuta ede um(a) educador(a) musical acerca de temas comuns a ambas as áreas. Estruturadas no formato de entrevista, as perguntas foram enviadas por e-mail para convidados(as) muitoespeciais: Marly Chagas1, musicoterapeuta e professora da UFRJ, e Tiago Madalozzo2,educador musical e professor da UNESPAR – Campus Curitiba II. As afinidades eparticularidades de cada resposta transparecem a riqueza de possibilidades de experiênciae vivência no campo da música, em visões renovadas e inspiradoras acerca dos fazeres esaberes da Musicoterapia e da Educação Musical.</p> Copyright (c) 2022 Revista InCantare https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/4240 NORMAS EDITORIAIS 2021-06-09T10:31:10-03:00 NORMAS EDITORIAIS NORMAS EDITORIAIS revista.mosaico@unespar.edu.br Copyright (c) 2022 Revista InCantare