Concepções de corpo, gênero e currí­culo na educação fí­sica do ensino médio

Autores

Palavras-chave:

corpo, gênero, docência, currí­culo.

Resumo

Este artigo apresenta resultados de pesquisa qualitativa em torno das concepções de corpo, gênero e currí­culo entre professoras e professores de Educação Fí­sica de escolas da rede pública estadual de ensino de uma cidade da fronteira oeste do Rio Grande do Sul. Tal estudo tem como objetivo principal compreender a influência das concepções de corpo e gênero entre professoras e professores de Educação Fí­sica do Ensino Médio na organização do currí­culo da disciplina de Educação Fí­sica. A abordagem metodológica para o desenvolvimento desta pesquisa foi de caráter qualitativo e delineou-se, quanto aos seus objetivos, como descritiva e explicativa. Utilizou-se, como instrumento de coleta de dados, uma entrevista semiestruturada; e, como principal aporte metodológico para a análise dessas entrevistas, foi utilizada a análise de conteúdo. Diante disso, podemos afirmar que as experiências e vivências pregressas dos participantes desta investigação influenciam na escolha dos conteúdos a serem trabalhados nas aulas da disciplina e, sobretudo, na organização do currí­culo, haja vista a recorrência do ensino dos esportes coletivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Phillip Vilanova Ilha, Universidade Federal do Pampa

Possui Licenciatura Plena em Educação Fí­sica (2000), especialização em Ciência do Movimento Humano (2003), especialização em Mí­dias na Educação (2004), mestrado em Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde (2013) e Doutorado em Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde (2016), todos pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente é professor do magistério superior da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) e docente permanente do Programa de Pós-Graduação de Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde da Unipampa. Atua na área de Educação Fí­sica e Ensino, trabalhando principalmente nos seguintes temas: Práticas pedagógicas na educação fí­sica escolar; Metodologia e ensino aprendizagem dos esportes; Projetos de aprendizagem; Formação de professores; Atividade fí­sica e promoção da saúde. Coordenador-Lí­der do Grupo de Estudos em Educação Fí­sica e Esportes - GEEFE, da Unipampa

Alinne de Lima Bonetti, Universidade Federal de Santa Catarina

Alinne de Lima Bonetti é antropóloga, licenciada em Ciências Sociais pela UFRGS (1997), mestra em Antropologia Social pela UFSC (2000) e doutora em Ciências Sociais, área estudos de gênero, pela Unicamp (2007). Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Federal de Santa Catarina, integrante do Núcleo de Identidade de gênero e Subjetividade (NIGS) e do Instituto de Estudos de Gênero (IEG). É pesquisadora colaboradora do Grupo de Pesquisa Tuna - gênero, educação e diferença, da UniversidadeFederal do Pampa - Unipampa. Entre os seus temas de interesse e pesquisa estão: gênero, poder, polí­tica, feminismo, desigualdades e suas interseccionalidades, teoria feminista, antropologia feminista e teoria antropológica.

Vinícius Gonçalves Mariano, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde, da Universidade Federal do Pampa.

Técnico em Segurança do Trabalho (SENAC, 2015), graduado em Licenciatura em Educação Fí­sica (UNIPAMPA, 2018), campus Uruguaiana. Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde (UNIPAMPA, 2019), campus Uruguaiana. Atualmente é membro e pesquisador do grupo de pesquisa Tuna - Gênero, educação e diferença - UNIPAMPA, campus Uruguaiana e Residente em Saúde Coletiva (UNIPAMPA, 2021).

Referências

ALTMANN, H. AYOUB, E. AMARAL, S. C. F. Gênero na prática docente em educação fí­sica: "meninas não gostam de suar de suar, meninos são habilidosos"? Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 2, 2011, p. 491-501.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BONETTI. A. Entre armadilhas ideológicas e confusões propositais: reflexões sobre a polêmica em torno da "ideologia de gênero". In: SILVA, F. F.; BONETTI, A.L.(Org.). Gênero, interseccionalidades e feminismos: Desafios contemporâneos para a educação. São Leopoldo: Oikos, 2016. p. 47-62.

BRASIL. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasí­lia, DF, 24 maio 2016. Disponí­vel em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html . Acesso em: 18 de abril de 2021.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: ensino médio. Brasí­lia: MEC, 2017.

CHICAT, K. C. Motivação nas aulas de Educação Fí­sica no Ensino Médio. Revista da Educação Fí­sica/UEM Maringá, v. 11, n. 1, 2000, p. 97-105.

COUTINHO, N. F.; SILVA, S. A. Conhecimento e aplicação de métodos de ensino para os jogos esportivos coletivos na formação profissional em educação fí­sica. Movimento, v. 15, n. 1, 2009, p. 117-144.

DARIDO, S. C. Diferentes concepções sobre o papel da educação fí­sica na escola. Cadernos de Formação: Conteúdos e Didática de Educação Fí­sica, São Paulo, v. 1, 2012, p. 34-50.

DEVIDE, F. P; et al. Estudos de gênero na educação fí­sica brasileira. Motriz: Revista de Educação Fí­sica, v. 17, n. 1, 2011, p. 93-103.

DUARTE, C. P.; OLIVEIRA, F. F. Discurso dos professores e professoras de educação fí­sica sobre o relacionamento de meninos e meninas. In: Simpósio Temático Gênero e sexualidade nas práticas escolares, Florianópolis, 2006.

FRAGA, A. B. Corpo, Identidade e Bom-Mocismo. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2012.

GOELLNER, S. V. Gênero. In: GONZíLEZ, F.J.; FENSTERSEIFER, P.E. Dicionário Crí­tico de Educação Fí­sica. Ijuí­: Unijuí­, 2005. p. 207-209.

GOELLNER, S. V. A produção cultural do corpo. In: LOURO, G; NECKEL, J. F. L; GOELLNER, S. V. (orgs.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Vozes, 2003, p. 28-40.

JACO, J. F. Educação Fí­sica escolar e Gênero: diferentes maneiras de participar da aula. 2012. 114 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Educação Fí­sica, Unicamp, Campinas, São Paulo, 2012.

KUNZ, M. C. S; et al. Improvisação & Dança. Florianópolis: Ed. UFSC, 1998.

LAQUEUR, T. Inventando o Sexo: Corpo e Gênero dos Gregos a Freud. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

MEYER, D. E. E. Corpo, violência e educação: uma abordagem de gênero. In: JUNQUEIRA, R.D. (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasí­lia: Ministério da Educação, Unesco, 2009, p. 213-33.

PEREIRA, M. G. R. A Motivação nas aulas de educação fí­sica: um enfoque no ensino médio. 2006. 108 f. Dissertação (Mestrado em Educação Fí­sica) – Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2006.

RAMOS, V; GRAÇA, A. B. S.; NASCIMENTO, J. V. A representação do ensino do basquetebol em contexto escolar: estudos de casos na formação inicial em educação fí­sica. Revista Brasileira de Educação Fí­sica e Esporte, v. 20, n. 1, 2006, p. 37-49.

SANTOS, V. C. D. Indí­cios de sentidos e significados de feminilidade e de masculinidade em aulas de Educação Fí­sica. Motriz: Revista de Educação Fí­sica, v. 16, n. 4, 2010, p. 841-852.

SCOTT, J. W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, RS, v. 20, n. 2, 1995, p. 71-99.

SCAVONE, L. Das diferenças í s desigualdades: reflexões sobre o conceito de saúde reprodutiva nas ciências sociais. In: GOLDENBERG, P.; MARSIGLIA, R. e GOMES, M. H. (org). O clássico e o novo – tendências, objetos e abordagens em Ciências Sociais e Saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2003. p. 187-195.

SOTERO, M. A. Questões de gênero e desconstrução de estereótipos: um plano lúdico para ensino da dança na educação fí­sica escolar. Mestrado em Educação Fí­sica Instituição de Ensino: Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

VIANNA, C. P. Educação e gênero: parceria necessária para a qualidade do ensino. In Gênero e Educação: caderno para professores. Autores diversos. São Paulo: Secretaria Municipal de Educação, 2003.

Downloads

Publicado

2021-08-11