13. Os trânsitos da produção visual da arte popular no cenário artístico brasileiro contemporâneo

Selma Machado Simão

Resumo


A pesquisa buscou construir uma atitude reflexiva sobre a Arte Popular destacando algumas de suas confluências com o contexto da produção das Artes Visuais no intuito de manifestar formas críticas de pensamento sobre questões importantes, como: estética do cotidiano, produção cultural local e global, culto e inculto, interculturalidade, conexão e hibridização, qualidade formal, circulação e discriminação. O percurso metodológico que orientou o conjunto de análises e reflexões foi embasado pela abordagem hermenêutica. As explorações sobre as interlocuções teóricas apoiaram-se na abordagem da História Cultural que torna visíveis as produções de variados tipos de grupos e de suas diversas formas artísticas, assim como, os sujeitos autores dessas produções. A pesquisa também transitou pelo debate filosófico mediado por meio de conceitos representativos a estes conteúdos com o propósito de enriquecer a fundamentação teórica sobre os princípios básicos da Arte Popular. Os resultados obtidos possibilitaram a construção de conhecimentos sobre micro formas de subversão e resistência cultural capazes de unir a cisão criada por concepções preconceituosas e hierarquizantes que preconizam o distanciamento entre o erudito e o popular buscando uma convivência integrada no âmbito da diversidade artística e cultural.

 

 


Palavras-chave


Arte Popular; Artes Visuais; Criação; Interface e Transgressão.

Texto completo:

PDF/A

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso, em Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BIENAL NAÏFS DO BRASIL 2018. Espelhos Libertários. Disponível em . Acesso em 20 dez. 2018.

CANCLINI, Néstor G. Estudos sobre cultura: uma alternativa Latino Americana aos cultural studies. Porto Alegre: Revista FAMECOS, n. 30, 2006.

____. Culturas Híbridas, São Paulo, Edusp, 2011.

CERTEAU, Michel de. Invenção do cotidiano. Rio de Janeiro, Petrópolis: Vozes, 1998.

CHARTIER, Roger. A história cultural. Entre práticas e representações. Lisboa, Difel, 1990.

DELEUZE, Gilles; GUATARRI, Félix. O que é uma literatura menor? em Kafka: para uma literatura menor. Rio de Janeiro: Imago, 1978.

FOUCAULT, Michel. La Verdad y las Formas Jurídicas. Barcelona: Gedisa, 1995.

FRANGE, Lucimar B. Travessias. Disponível em . Acesso 15 dez. 2018.

GALERIA ESTAÇÃO. Chico Tabibuia. Artista, em http://www.galeriaestacao.com.br/artista/9, acesse em 19 de novembro de 2018.

GUALBERTO, Tiago. Ana das Carrancas, a Dama do Barro. Disponível em . Acesso em 18 out. 2018.

IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Literatura-de cordel é reconhecida como patrimônio cultural do Brasil. Disponível em . Acesso 14 de out. 2018.

LEIRNER, Nelson. A nova revolução industrial, em https://silviacintra.com.br/exposicoes/nelson-leirner/, acesso em 18 de outubro de 2018.

MAZZUCCHELLI, Kiki. Além da Vanguarda, em Bienal Naïfs do Brasil. São Paulo: Sesc, 2012.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

PORTAL DA ARTE. Jadir João Egídio. Disponível em . Acesso em 18 out. 2018.

SESC SÃO PAULO. Vem aí a 14ª Bienal Naïfs do Brasil. Disponível em . Acesso em 18 out. 2018.

SIMÃO, Selma M. Arte híbrida: entre o pictórico e o fotográfico. São Paulo, Unesp, 2008.

SYMANSKI, Luís Cláudio P. Cerâmicas, identidades escravas e crioulização nos engenhos de Chapada dos Guimarães (MT). Mato Grosso: Revista Unisinos, vol. 14, nº 3, setembro/dezembro de 2010, p. 294-310.

ª BIENAL DE SÃO PAULO - INCERTEZA VIVA. Disponível em . Acesso em 21 jan. 2019.

VILELA, Fernando. Lampião & Lancelote. São Paulo: Cosac Naify, 2006.

ª BIENAL DE SÃO PAULO. Com arte popular, espanhol relaciona a arte e a biologia. Disponível em https://temas.folha.uol.com.br/33-bienal-de-sao-paulo/antonio-ballester-moreno-sentido-comum/com-arte-popular-espanhol-relaciona-a-arte-e-a-biologia.shtml>. Acesso 18 out. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interdisciplinar Internacional de Artes Visuais - Art&Sensorium

R. Sensorium, Curitiba, PR, Brasil, eISSN 2358-0437

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

INDEXAÇÕES:

DOAJ

MIAR

LATINDEX

DIADORIM

DOI