05. Arte socialmente engajada e práticas de colaboração: ações movidas pelos afectos

Andreia Machado Oliveira

Resumo


Observamos uma implicação crescente das práticas de colaboração em propostas artísticas transdisciplinares e socialmente engajadas que, de certa maneira, nos levam a pensar sobre outras formas de estarmos juntos; bem como nos questionam sobre como a arte pode ativar dimensões estética e política na produção do comum. Com fundamentação teórica em Benedictus de Spinoza, Gilles Deleuze, Antonio Negri, Michael Hardt e Grant Kester, colocamos nossa atenção sobre os aspectos relacionais de tais práticas artísticas, especificamente, sobre como os afectos dos corpos produzem conhecimento nos encontros que ocorrem com comunidades. A partir de práticas socialmente engajadas, questionamos modelos individualistas, racionalistas e competitivos, e trazemos a colaboração, a dimensão coletiva e a potência dos afectos para a produção e partilha de conhecimentos. Portanto, apontamos a potência dos afectos e da arte na ativação de saberes e fazeres locais através de práticas artísticas de colaboração que se estabelecem a partir das singularidades do coletivo. 


Palavras-chave


arte socialmente engajada; comunidades; práticas de colaboração; afectos; comum

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABAD, Antoni. Entrevista. Fórum Permanente. Acesso em Agost. 2017. Disponível em http://www.forumpermanente.org/revista/edicao-0/entrevistas/antoni-abad.

BUTLER, Judith. Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

CLOUGH, Patricia T., HALLEY, Jean. The Affective Turn: theorizing the social. Durham e Londres: Duke University Press, 2007.

COLMAN, Felicity F. Affect. In: PARR, Adrian (Org.). The Deleuze Dictionary. Nova York: Columbia University Press, 2005.

DELEUZE, Gilles. Spinoza: practical philosophy. São Francisco: City Lights Books, 1988.

DELEUZE, Gilles. DELEUZE / ESPINOSA. Cours Vincennes - 24/01/1978. Acesso em Agost. 2007. Disponível em http://www.webdeleuze.com/php/texte.php?cle=194&groupe=Espinosa&langue=5

DELEUZE, Gilles & GUATTARI, Félix. O que é filosofia? Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

GROSZ, Elizabeth. Chaos, territory, art. Nova York: Columbia University Press, 2007.

MALLMANN, Kalinka. DNA Afetivo Kamê e Kanhru: prática artística colaborativa em

comunidade kaingáng. Dissertação de Mestrado. Santa Maria: UFSM, 2018.

MALLMAN, Kalinka; OLIVEIRA, Andreia Machado; PEREIRA, Marcelo Eugenio Soares. Práticas artística em comunidade indígena Kaingang: Por uma metodologia colaborativa. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG. v.9, n.18: nov.2019.

HARDT, Michael. Gilles Deleuze – um aprendizado em filosofia. São Paulo: Ed. 34, 1996.

HARDT, Michael. Para que servem os afetos? Tradução de Luiz Roberto Leite Farias. In: Intersemiose. Revista Digital, ano IV, n. 07, Jan/Jun 2015, p. IX-XIV.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Multitude: war and democracy in the age of empire. Nova York: Penguin Press, 2004.

HELGUERA, Pablo. Education for Socially engaged art: a materials and techniques handbook. Nova York: Jorge Pinto Books, 2011.

KESTER, Grant H. Conversation Pieces: community + communication in modern art. Berley, Los Angeles: University of California Press, 2004.

KESTER, Grant H. Colaboração, Arte e Subculturas. In: Cadernos VIDEOBRASIL 02: arte mobilidade sustentabilidade. São Paulo: SESCSP, 2006, pp. 10-35.

LAFUENTE, Antonio, CANCELA, Mariana. Cómo hacer um prototipo. In: LAFUENTE, Antonio, HORRILLO, Patricia (Org.). La aventura de aprender. Madri, 2016.

LAVAL, Christian; DARDOT, Pierre. Común: ensayo sobre la revolución en el siglo XXI. Barcelona: Gedisa Editorial, 2015.

MASSUMI, Brian. Parables for the Virtual: movement, affect, sensation. US: Duke University Press, 2002.

NANCY, Jean-Luc. El arte hoy. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Prometeo Libros, 2014.

NEGRI, Antonio. Para uma definição ontológica da multidão. In: Lugar Comum, Porto Alegre, n. 19-20, p. 15-2, 2009.

OLIVEIRA, Andréia Machado. Corpos Associados: interatividade e tecnicidade nas paisagens da arte. Tese de Doutorado. Porto Alegre: UFRGS, 2010.

OLIVEIRA, Andreia Machado. Arte e comunidade: Práticas de colaboração implicadas no comum. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG. v.7, n.14: nov.2017.

OHLENSCHLÄGER, Karin. Nodos y Redes. In: Banquete, nodos y redes. SEACEX / TURNER, 2009.

O’SULLIVAN, Simon. The Aesthetics of Affect, thinking art beyond representation. In: ANGELAKI-journal of the theoretical humanities, vol. 6 n. 3 dez., 2001.

SPINOZA, Benedictus. Ética. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interdisciplinar Internacional de Artes Visuais - Art&Sensorium

R. Sensorium, Curitiba, PR, Brasil, eISSN 2358-0437

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

INDEXAÇÕES:

DOAJ

MIAR

LATINDEX

DIADORIM

DOI