Arte e Política: Malas na Cidade e o Conceito de Comum

Ícaro Lênin Maia Malveira, João Vilnei de Oliveira Filho

Resumo


O presente trabalho foi desenvolvido a partir do recorte de um conjunto de ações realizadas em Fortaleza, no dia 16 de novembro de 2018, na calçada do Museu de Arte da UFC (MAUC) e nas imediações do cruzamento da Av. da Universidade com a Av. 13 de Maio. A escrita que segue é uma reflexão sobre as ações na rua, trabalho final da disciplina de Ateliê de Criação IV, somadas aos debates sobre arte e política que vieram à tona no decorrer da disciplina de Tópicos Especiais II, ambas ofertadas pelo Programa de pós-graduação em Artes da Universidade Federal do Ceará (UFC), no segundo semestre de 2018. Sua elaboração traz, inicialmente, a história das malas que me acompanharam em diferentes momentos da vida. Em seguida, exploro a maneira como essas narrativas se atravessam no processo de criação de um fanzine conceitual, seguidas de uma descrição das ações na rua, que integraram o IV Seminário Internacional das Artes e seus Territórios Sensíveis (SIATS). As vivências e interlocuções com a cidade que aconteceram na data das ações fundamentam-se aqui tomando como referencial o conceito de comum, em Arendt, e de partilha do sensível, em Rancière. Defendo a ideia de que as ações e o uso das malas na cidade contribuem na construção de um espaço comum, onde há espaço para a troca, momento de criação e possíveis diálogos com a lógica de produção do fanzine. Este trabalho é uma produção do Laboratório de Investigação em Corpo, Comunicação e Arte (LICCA-UFC) e é parte de uma pesquisa em Arte Contemporânea que tem como intuito realizar uma série de ações que se somem no processo de criação de um zine-cidade.


Palavras-chave


cidade; comum; criação; fanzine; mala

Texto completo:

PDF/A

Referências


AGAMBEN, Giorgio. A Comunidade que vem. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Trad. Roberto Raposo, posfácio de Celso Lafer. 10 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

ARISTÓTELES. Política. Trad. Therezinha Monteiro Deutsch e Baby Abrão. São Paulo: Ed. Nova Cultural, 2000.

BRITTO, Fabiana; SETENTA, Jussara. Performatividades. In: JACQUES, Paola; BRITTO, Fabiana (Orgs.). Corpocidade: gestos urbanos. Salvador: Edufba, 2017.

CARROL, Lewis. Alice: edição comentada. (M. L. X. de A. Borges, Trad.). Rio de Janeiro: Zahar (2002).

FERRANDO, Bartolomeo. Arte y cotidianeidad hacia la transformación de la vida en arte. Madrid: Árdora Ediciones, 2012.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento. São Paulo: Editora 34, 1996.

RANCIÈRE, Jacques A partilha do sensível. São Paulo: Editora 34, 2000.

RUBIÃO, Murilo. O pirotécnico Zacarias. 16. ed. São Paulo: Ática, 1979

SWIFT, Jonathan. Viagens de Gulliver. São Paulo: Penguin, 2010.

WAGNER, R. A Arte e a Revolução. 2ª edição. Tradução de José M. Justo. Introdução de Carlos da Fonseca. Lisboa: Edições Antígona, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



R. Sensorium, Curitiba, PR, Brasil, eISSN 2358-0437

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

INDEXAÇÕES: DOAJ - MIAR - LATINDEX - DIADORIM