A VISUALIDADE EM DIÁLOGO: ARTE, PERCEPÇÃO E TECNOLOGIA

Rebeca Torrezani Martins Hippertt, Luciana Martha Silveira

Resumo


O presente artigo tem como objetivo contextualizar e analisar o campo da visualidade, adotando uma abordagem sobre o ato da visão que se configura além do olho, demandando outra instância para pensar o visível. Para tanto, busca-se investigar a produção de artistas, obras visuais e audiovisuais que convocam um paradigma auditivo como aglutinador de conhecimentos, contextualizando e reconstruindo uma forma de abordagem para a percepção visual. Nesse contexto, a questão da sinestesia se torna um centro conceitual apto para explicar a relação entrecruzada dos sentidos da audição e visão. Desse modo, através das obras e a condição sensorial do artista Neil Harbisson, e ainda, de análises do contexto histórico e das técnicas de produção da visual music, será exposto a forma entrecruzada como o “ver” pode se manifestar e se implicar. Articulam-se fundamentalmente tais casos com Gibson (1986) e Ingold (2002).


Palavras-chave


Percepção. Visualidade; Sinestesia; Arte; Entrecruzamento sensorial.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



R. Sensorium, Curitiba, PR, Brasil, eISSN 2358-0437

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

 

 

DOAJ - DIADORIM - LATINDEX - INFOBASE INDEX - MIAR

Locations of visitors to this page