Percepções Sensíveis na Arte Contemporânea: concepção estética de Gilles Deleuze e Félix Guattarri

Vania Konell, Ana Clarisse Alencar Barbosa

Resumo


Este artigo propõe analisar as obras de arte contemporânea nas lentes dos filósofos Gilles Deleuze e Félix Guattarri, bem como de teóricos que dialogam sobre a arte contemporânea como Catherine Millet, Arthur Danto, Carol Strickland, Luciano Vinhosa, Luigi Pareyson e Anne Cauquelin. Esta analise se faz a partir da concepção estética destes autores, contemplando uma perspectiva que considera a arte como um bloco de sensação composto por categorias definidas como percepto e afecto. Esta pesquisa procura responder o seguinte questionamento: Quais as percepções sensíveis que as obras de arte contemporânea provocam a partir das concepções estéticas? Tem como objetivo discutir a concepção estética em algumas obras de arte contemporânea, a partir dos conceitos dos filósofos Gilles Deleuze e Félix Guattarri. Este estudo está embasado em uma abordagem teórico-analítica para fornecer subsídios conceituais acerca da arte e da estética como proposta que contribui para a apreciação artística contemporânea. As obras selecionadas para análise são parte do acervo do Instituto Inhotim, Museu de Arte Contemporânea em Minas Gerais, e seu estudo se efetivou a partir de coleta de registros fotográficos. Esta pesquisa mostra, que para estes autores, a arte é um composto estético que faz pensar por sensações e é compreendida como uma possibilidade criativa, promovendo a sensibilização dos sujeitos envolvidos nas manifestações artísticas nos diferentes tempos e espaços.


Palavras-chave


Arte Contemporânea; Estética; Bloco de sensação; Percepto e afecto;

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



R. Sensorium, Curitiba, PR, Brasil, eISSN 2358-0437

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

 

 

DOAJ - DIADORIM - LATINDEX - INFOBASE INDEX - MIAR

Locations of visitors to this page