A estrutura patriarcal do olhar: Uma análise da objetificação do corpo da mulher na imagem.

Ana Clara Piet

Resumo


Com o árduo avanço de reflexões a partir de movimentos feministas sobre a libertação da mulher, teóricas vêm, ao longo da história, propondo estudos investigativos acerca da representação da mulher nas artes, sobretudo na imagem. Desde o primeiro cinema, a mulher é representada dentro do universo cinematográfico como uma figura que sustenta o olhar, que se dirige a ele, e que até mesmo é vítima de sua busca; o centro do espetáculo. A perspectiva psicanalítica surge nesta reflexão como principal ferramenta de compreensão a respeito do papel social que a mulher exerce dentro do patriarcado, além de levantar potenciais esclarecimentos sobre os desejos, as necessidades e as posições assumidas por homem e mulher, que se refletem na cinematografia. Este artigo visa propiciar uma argumentação a respeito da construção do olhar sobre o corpo feminino e de que forma essa construção se estrutura num modelo patriarcal de sociedade escópica. 


Texto completo:

PDF

Referências


FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

KAPLAN, Ann. A mulher e o cinema: os dois lados da câmera. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

LACAN, J. O seminário, livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

MULVEY, Laura. Prazer visual e cinema narrativo. In: XAVIER, Ismail (org.). A Experiência do cinema. Rio de Janeiro: Graal, 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Contato

Revista Científica / FAP

Rua dos Funcionários 1357 – Cabral

Curitiba - PR - 41 3250-7339 - 41 3250-7301

revista.mosaico@unespar.edu.br