A cor como elemento de significação na narrativa fílmica: Um estudo do longa “A História da Eternidade”

Ítalo Gaspar

Resumo


As cores se configuram, atualmente, como um importante elemento de coesão na narrativa do cinema, ajudando a compor significado das produções que assistimos. Este artigo, visa abordar a significação fílmica a partir das escolhas de estética cromática, através de uma análise guiada pelas escolhas cromáticas do longa “A História da Eternidade” (2014), do diretor Camilo Cavalcante. Uma pesquisa bibliográfica guia de forma embasada o contexto histórico da cor no cinema, adentrando também em questões ramificadas como a construção de Diegese no cinema a partir da cor. A Metodologia e objeto deste estudo é baseado nos indicadores e categorias apresentados por Vanoye (2014) e Joly (2010) no que toca planos, enquadramentos e contextos narrativos. A análise fílmica parte da análise de imagens a partir de três diferentes núcleos de narrativas intercaladas e suas atmosferas cromáticas a partir de autores como Aumont (2012; 2014), Metz (2014) Santaella (2012), Farina (2006) e Vanoye (2014). 


Texto completo:

PDF

Referências


AUMONT, Jacques. A imagem. 16. ed. Campinas: Papirus, 2014.

AUMONT, Jacques. As teorias dos cineastas. 3.ed. Campinas, Papirus, 2014.

BARNWELL, Jane. Fundamentos de produção cinematográfica. Porto Alegre,

RS: BOOKMAN Editora LTDA, 2008.

CAVALCANTE, Camilo. Entrevista concedida via e-mail no dia 26/05/2017. Natal-RN, 2017.

COSTA, Maria Helena B. V. da. Cores e filmes. Um estudo da cor no cinema. Curitiba: Editora CRV, 2011.

DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. São Paulo, Martins fontes, 1997.

FARINA, Modesto; PEREZ, Clotilde; BASTOS, Dorinho. Psicodinâmica das cores em comunicação. 5ª Ed. São Paulo: Blusher, 2006.

HELLER, Eva. A psicologia das cores: Como as cores afetam a emoção e razão. São Paulo: Gustavo Gili, 2013.

MARIZ, Candida Lemos França. CONTRATO DE LEITURA: Um estudo da especificidade do discurso dos meios de comunicação Impressos. UNAR, Araras, SP, v.2, n.1, p.43-54, 2008.

MARTINE, Joly. Introdução à análise da imagem. 14. Ed Campinas, SP:Papirus, 2010.

MARTINS, Beto. Entrevista concedida via telefone no dia 20 de Maio de 2017. Natal-RN, 2017.

METZ, Christian. A significação no cinema. 2.ed. São Paulo: Perspectiva, 2014, p.295.

MISEK, Richard. Chromatic cinema. An history of screen color. Singapore: WileyBlackwell, 2010.

SANTAELLA, Lúcia. Semiótica Aplicada. São Paulo: Thomson, 2002.

VANOYE, Francis. Ensaio sobre a análise fílmica. 7. ed. São Paulo, Brasil: Papirus

Editora, 2009.

XAVIER, Ismael. O cinema brasileiro moderno. 1. ed. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Contato

Revista Científica / FAP

Rua dos Funcionários 1357 – Cabral

Curitiba - PR - 41 3250-7339 - 41 3250-7301

revista.mosaico@unespar.edu.br