CARACTERIZAÇÃO CARIOTÍPICA DE Phyllomedusa tetraploidea (ANURA, HYLIDAE), PROVENIENTE DA MATA ATLÂNTICA PARANAENSE

Laura Winkelmann, Rafael Bueno Noleto

Resumo


No hemisfério Sul, o Brasil ocupa o primeiro lugar em relação à riqueza de espécies de anfíbios, e estes apresentam alta diversidade e endemismo na Mata Atlântica, que por sua vez é um dos ecossistemas mais ameaçados do mundo. A espécie Phyllomedusa tetraploidea caracteriza-se pelo fato de cada célula somática dessa espécie abrigar quatro cópias de cada cromossomo. Preparações cromossômicas foram realizadas a partir de espécimes coletados em um fragmento de Mata Atlântica do Estado do Paraná. Metodologias convencionais como coloração com Giemsa e bandamento C foram realizadas com objetivo de conhecer a estrutura cromossômica dessa espécie. Com relação à macroestrutura cariotípica, foi encontrado 2n = 4x = 52 cromossomos distribuídos em metacêntricos, submetacêntricos e subtelocêntrico com Número Fundamental (NF=104). O bandamento C evidenciou heterocromatina constitutiva nas regiões pericentroméricas de alguns quartetos de cromossomos, e em grande parte deles as bandas C não foram idênticas entre os cromossomos homólogos, o que pode indicar um processo de diploidização. É muito importante e imprescindível que a técnica de banda C seja realizada em um maior número de indivíduos e em outros representantes do gênero Phyllomedusa, para se avaliar a hipótese da diploidização dos tetraploides. No Brasil P. tetraploidea é encontrada em simpatria com outras espécies do gênero, onde animais triploides também ocorrem como consequência de hibridização natural. Assim além de descrever pela primeira vez o cariótipo dessa espécie para o estado do Paraná, buscamos contribuir com dados sobre a origem da poliploidia nesse grupo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.