PARASITOS INTESTINAIS DE Leopardus wiedii E Leopardus tigrinus (FELIDAE) DA FLORESTA NACIONAL DE TRÊS BARRAS, SC

Suellen Cristine Kusma, Derlise Maria Wrublewski, Valéria Natacha Teixeira, Daniela Roberta Holdefer

Resumo


Os felídeos apresentam diferenciados papéis ecológicos e enquanto predadores são importantes e benéficos para os ecossistemas, pois atuam no topo da cadeia alimentar. Quando infectados por algumas formas parasitárias pode ocorrer interferência na sua atividade alimentar atuando diretamente na estrutura e atribuindo um novo perfil a tal comunidade. Desta forma o objetivo deste estudo foi promover reconhecimento das parasitoses e o nível de infestações nas espécies de Leopardus wiedii e Leopardus tigrinus acrescentando informações sobre a saúde destas espécies selvagens. O levantamento de amostras fecais foi realizado nos limites da Unidade de Conservação da Floresta Nacional de Três Barras (FLONA) no período de agosto a dezembro de 2013 e perfez 10 visitas ás trilhas e estradas existentes. As amostras coletadas foram submetidas à análise tricológica para confirmação das espécies de felídeos e destinadas ao Laboratório de Parasitologia da PUC-PR para a realização dos exames coproparasitológicos. Os resultados indicaram que Leopardus wiedii apresentou dezessete formas parasitárias, sendo ovos de Spirometra sp. o mais frequente (85,7%), seguido de Capillaria sp. (71,4%) e larvas Aelurostrongylus sp.  (38,10%). Em Leopardus tigrinus foram encontradas 12 formas parasitárias, sendo a mais frequente os ovos de Spirometra sp. em 100% das amostras, ovos de Ancylostomatidae, Trichuris sp., Paragonimus sp. (28,57%) e larvas Aelurostrongylus sp. (35,72%). Os resultados indicam que a FLONA apresenta condições ambientais favoráveis á infecção dos felídeos silvestres com diversas formas de parasitos destacando uma grande frequência de nematoides.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.