O efeito da restrição alimentar no desempenho de alevinos de tilápia (Oreochromis niloticus)

Iago Vinicios Geller, Rafael Bueno Noleto, Celine de Campos, Marcos Otávio Ribeiro

Resumo


O Brasil encontra-se entre os 14 maiores produtores mundiais de pescado e vem proporcionando ampliação de renda para produtores rurais, embora uma das maiores dificuldades encontradas neste ramo é o custo alto com ração e fontes proteicas para o cultivo. Estratégias como restrição alimentar e realimentação é uma forma de explorar a capacidade natural de recuperação metabólica e crescimento dos peixes, podendo permitir economia no custo final do lote. Diante do exposto, o presente estudo objetivou avaliar os efeitos da restrição alimentar em alevinos de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus), considerada uma das espécies mais cultivadas na piscicultura, a fim de estabelecer qual nível de restrição não afetaria o desempenho para a espécie em determinada fase do crescimento. O estudo foi desenvolvido na estação de piscicultura da Universidade Estadual do Paraná – campus de União da Vitória, Paraná. Os alevinos foram distribuídos em três tanques com 50 indivíduos em cada, sendo realizada uma biometria inicial, e as demais biometrias em 30, 45 e 60 dias. Os tratamentos foram classificados em: R1 (um dia de restrição alimentar), R2 (dois dias) e R3 (três dias) na semana. Os resultados ao final dos 60 dias de experimento demonstraram um decréscimo no crescimento do grupo R3 se comparado com os outros grupos (R2 e R1). Portanto, tais resultados mostram que restrição alimentar acima de 2 dias por semana, comprometem significativamente o crescimento de alevinos de tilápia durante sua fase inicial de crescimento (3g a 50g).


Texto completo:

PDF

Referências


ABDEL-HAKIM et al. Effect of feeding regimes on growth performance of juvenile hybrid tilapia (Oreochromis niloticusxOreochromis aureus). World J

Agric Sci, v.5, n.1, p.49-54, 2009.

ALI, M. Z.; et al., Compensatory growth in fishes: a response to growth depression. Fish and Fisheries, v. 4, p. 147–190, 2003.

ARAUCO, L. R. R.; COSTA, V. B. Restrição alimentar no desempenho produtivo da tilápia (Oreochromisniloticus). ComunicataScientiae.Vol. 3, nº. 2, p, 134-138. Piauí, 2012.

BAR, N. Physiological and hormonal changes during prolonged starvation in fish. Canadian Journal of Fisheries and Aquatic Sciences, v. 71, p. 1 – 12, 2014.

BOSCOLO, et al. Desempenho e Características de Carcaça de Machos Revertidos de Tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus), Linhagens Tailandesa e Comum, nas Fases Inicial e de Crescimento. Rev. bras. zootec. v. 30, n. 5, p. 1391-1396, 2001.

BOYD, C. Water quality in ponds for aquaculture. Birmingham Publishing, Alambama, First Printing, p. 482, 1990.

CANTON, R. et al., Influência da frequência alimentar no desempenho de juvenis de jundiá. R. Bras. Zootec., v.36, n.4, p.749-753, 2007.

CARVALHO, E.D. Avaliação dos impactos da piscicultura em tanques-rede nas represas dos grandes tributários do alto Paraná (Tietê e Paranapanema): o pescado, a ictiofauna agregada e as condições limnológicas. Relatório Científico (FAPESP). Botucatu, SP. 2006. 46p.

CHAPPAZ, R.; OLIVART, G.; BRUN, G. Food availability and growth rate in natural populations of the brown trout (Salmo trutta) in Corsican streams. Hydrobiology v. 331, p. 63-69. 1996.

CRIVELENTI L. Z. et al. Desempenho econômico da criação de tilápias do nilo (Oreochromis niloticus) em sistema de produção intensiva.Vet. Not., Uberlândia, v. 12, n. 2, p. 117-122, ago.-dez. 2006

EMATER. Informativo conjuntural. Porto Alegre, 2006. 11p. (Boletim técnico, 898).

FAO. The State of world fisheries and aquaculture. Rome, 2016.

FIOGBÉ, E.D.; KESTMONT, P. Optimum daily ration for Eurasians perch Perca fluviatilis L. reared at its optimum growing temperature. Aquaculture, v.216, p.243-252, 2003.

FURNÉ, M. et al., The metabolic effects of prolonged starvation and refeeding in sturgeon and rainbow trout. Journal of Comparative Physiology B, v. 182, p.63 – 76, 2012.

HERRERA, L. A. et al. Crescimento compensatório e privação alimentar no desempenho produtivo do robalo flecha. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 51, n. 6, p.1-4, jun. 2016.

HORNICK, J. L. et al., Mechanisms of reduced and compensatory growth. Domestic Animal Endocrinology, v. 19, p. 121 – 132, 2000.

KUBITZA, F. A sanidade na piscicultura, do ponto de vista dos produtores e técnicos. Panorama da AQUICULTURA, janeiro, fevereiro 2013.

KUBITZA, F. Qualidade da água, sistemas de cultivo, planejamento da produção, manejo nutricional e alimentar e sanidade. Panorama da AQUICULTURA, maio/junho, 2000.

LAGLER, K. F. et al., Ichthyology. The study of fishes. New York, John Willey. Nacional Research Council (nrc). 1993. 506p.

LUI, T. A. Restrição alimentar para tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus). 2016. 48 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca, Centro de Engenharias e Ciências Exatas, Universidade Estadual do Oeste do ParanÁ, Toledo, 2016.

MARTINELI, G. M. Automação do fornecimento de ração e fracionamento da ração diária para tilápias criadas em ambiente controlado com dieta balanceada. 2017. 51 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Botucatu - São Paulo, 2017.

METCALFE, N.B.; MONAGHAN, P. Compensation for bad start: grow now, pay later? Trends Ecol Evol, v.16, n.5, p.254- 260, 2001.

NAVARRO, I.; GUTIÉRREZ, J.; PLANAS, J. Changes in plasma glucagon, insulin and tissue metabolites associated with prolonged fasting in brown trout (Salmo trutta fario). Comparative Biochemistry and Physiology, v. 102, p. 401–407, 1992.

RIOS, F.S. et al. Mobilization and recovery of energy stores in traíra, Hoplias malabaricus Bloch (Teleostei, Erythrinidae) during long-term starvation and after re-feeding. Journal of Comparative Physiology, v. 176, p.721–728, 2006.

SANTIAGO, C. B.; ALDABA, M. B.; REYES, O. S. Influence of feeding rate and diet form on growth and survival of Nile Tilapia (Oreochromis niloticus) Aquaculture, Amsterdam, v.64, n.4, p.277-282, 1987.

SANTOS, M. M. et al., Nível de arraçoamento e frequência alimentar no desempenho de alevinos de tilápia-do-nilo. Bol. Inst. Pesca, São Paulo, 41(2): 387 – 395, 2015

SILVA, E. M. et al., Desempenho zootécnico e custos de alimentação de juvenis de tainha submetidos à restrição alimentar. Pesq. Agropec. Bras. Brasília, v.48, n.8, p.906-912, ago. 2013.

SOUZA, V.L.; URBINATI, E.C.; MARTINS, M.I.E.G. et al. Avaliação do Crescimento e do custo da alimentação do pacu (Piaractus mesopotamicus Holmberg, 1887) submetido a ciclos alternados de restrição alimentar e realimentação, Revista Brasileira de Zootecnia, v.32, n.1, p.19-28, 2003.

TAKAHASHI, L. S. et al., Feeding strategy with alternate fasting and refeeding: effects on farmed pacu production Journal of Animal Physiology and Animal Nutrition, v. 95, p. 259 –266, 2011.

TESSER, M. B.; SAMPAIO, L. A. Criação de juvenis de peixe-rei (Odontesthes argentinensis) em diferentes taxas de arraçoamento. Ciência Rural, Santa Maria, v.36, n.4, p.1278-1282, jul-ago, 2006.

TUCKER, C.S.; ROBINSON, E.H. Feeds and feeding practices. Channel catfish farming handbook. New York : AVI Book, Cap.10, p.292-315, 1991.

YENGKOKPAM, S. et al., Compensatory growth, feed intake and body composition of Labeo rohita fingerlings following feeding deprivation. Aquaculture Nutrition, v. 20 (2), p. 101 – 108, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.