Horticultura orgânica em comunidades socialmente vulneráveis no litoral do Paraná: implicações e perspectivas comerciais

Adilson Anacleto, Luciane Silva Franco, Ana Carolina Fujimura Bertelli Cabral, Amanda Casubek Cury

Resumo


As comunidades socialmente vulneráveis no litoral do Paraná tiveram origem ainda no processo de colonização e desenvolvimento do litoral paranaense, que após a década de 70 sofreram profundas alterações, e tiveram seus sistemas de vida socioeconômico modificado, especialmente pela redução das áreas de cultivo em função do crescimento do turismo. Neste contexto, urge encontrar alterativas de renda que possam, possam promover a permanência dessas famílias no campo. Neste contexto, realizou-se pesquisa exploratória descrita junto aos atores sociais envolvidos com a cadeia de produção e comercio da horticultura orgânica, visando avaliar as implicações e perspectivas comerciais da horticultura orgânica como alternativa de renda em comunidade socialmente vulneráveis. Conclui-se que na percepção dos produtores a atividade é classificada como propícia ao desenvolvimento e pode vir se constituir importante fonte de renda, mas, mas urge a busca por soluções dos problemas no que tange ao comercio. Considerou-se também que a organização coletiva dos produtores poderá fortalecer o tecido social nos processos de barganha junto ao poder público no estabelecimento de políticas sociais que possam favorecer o desenvolvimento da horticultura orgânica como fonte de renda, sendo que o processo de organização pode ser mais facilmente realizado com o auxílio das agências de fomento ou de projetos de extensão.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, M.B. Comercialização de produtos orgânicos. Curitiba, 1996.

ANACLETO, A.; ANDREOLLI, V.M.; MURARO, D. ANACLETO. AFM As relações entre extrativismo, justiça social e desenvolvimento sustentável em remanescentes de comunidades caiçaras inseridas em ambientes florestais no litoral sul do Estado do Paraná. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO. 8p. 2007.

ANACLETO, A.; COELHO, A.P.; CURVELO, E.B.C. As mulheres empreendedoras e as feiras livres no litoral do Paraná. Faz Ciência, v. 18, n. 27, p. 118-139, 2016.

ANACLETO, A. Flowers supply chain in Paraná Coast-Brazil: an application of Miles and Snow taxonomy. Revista Capital Científico, v. 14, n. 1, p. 10-25, 2016.

ANACLETO, A., BAPTISTA-METRI, C. ; GONÇALVES, T.; CALADO, A. ; PONTES, M.; NEVES, P. extrativismo do siri com gaiolas no litoral paranaense: implicações socioeconômicas. Revista SODEBRAS, v.10, n.1, p. 9-14, 2015.

ANACLETO, A.; NEGRELLE, R.R.B. Comércio de bromélias no Paraná. Revista Ceres, v. 60, n. 2, p. 185-193, 2013.

AQUINO, M.S. Investimento em educação: uma estratégia essencial para implementação do desenvolvimento rural. In: XXXVII Congresso brasileiro de economia e sociologia rural, Foz do Iguaçu. Anais. v. único. p. 264. 1999.

BELCHER, B.M. Forest product markets, forest and poverty reduction. International Forestry Review, Shropshire (UK), v. 7, n. 2, p. 82-89, 2005.

BÖHLKE, P.B.; PALMEIRA, E.M. Inserção competitiva do pequeno produtor de mel no mercado internacional. Revista Acadêmica de Economia, v. 71, p. 1-7, 2006.

BRANDENBURG, A. Agricultura familiar, ONGs e desenvolvimento sustentável. Curitiba: Editora UFPR, 1999.

CAMPANHOLA, C; VALARINI, P.J. A agricultura orgânica e seu potencial para o pequeno produtor. Cadernos de Ciência e Tecnologia, Brasília, v. 18, n. 3, p. 69-101, 2001.

DAROLT, M.R. Guia do produtor orgânico: produtor em harmonia com a natureza. Iapar: Londrina, 2002.

DIEGUES, A.C.S. Pescadores, camponeses e trabalhadores do mar. São Paulo, Ática. 1983. 287p.

ESTADES, N. P. O littoral do Paraná: entre a riqueza natural e a pobreza social. Desenvolvimento e meio ambiente, n. 8. v.1, p. 25-41, 2003.

FAO. Resource assessment of non-wood forest products, NWFP 13. Italy, 2001.

FREITAS, C.C.G. ; MAÇANEIRO, M.B.; KUHL, M.R.; SEGATTO, A.P.; DOLIVEIRA, S. L.D.; LIMA, L.F.Transferência tecnológica e inovação por meio da sustentabilidade. Revista de. Administração Pública, v. 46, n. 2, p.363-384, 2012,

LAKATOS, E. M; MARCONI, M. A. Fundamentos de Metodologia Científica. Ed. 05, São Paulo: Atlas, 2003.

MATA ATLÂNTICA, Disponível em: www.mataatlantica.org.br. Acesso 18/12/2005.

MURARO, D.; NEGRELLE, R.R.; CUQUEL, F.L.; ANACLETO, A. Market management: the impact on the development of an ornamental plants supply chain in Curitiba, Brazil. Ciencia e Investigación Agraria, v. 42, n. 3, p. 453-460, 2016.

MELÃO, I.B.; MORI, M.M.; WIRBISKI, S.; KARAN, K.F., DAROLT, M.; RODRIGUES, A. S. O mercado de orgânicos no Paraná: caracterização e tendências. Cadernos de Agroecologia, v. 2, n. 2, p12-17, 2007.

NEGRELLE, R.R.B; ELPO, E.R.S.; RÜCKER, N.G.A. Análise prospectiva do agronegócio gengibre no estado do Paraná. Horticultura Brasileira, v. 23, n. 4, p. 1022-1028, 2005.

NEGRELLE, RRB; LIMA, R. E. Meio ambiente e desenvolvimento no litoral do Paraná: subsídios à ação. Curitiba: NIMAD/UFPR, 2002.

NEVES, M.F.; CASTRO, L.T. Agronegócio, agregação de valor e sustentabilidade. ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, v. 31, 2007.

POPIA, A. F; JÚNIOR, H. A. C; ALMEIDA, R. de. Olericultura Orgânica. Série Produtor: Curitiba, 2000.

SILVA, J.C. B. V; LIZARELLI, P. H. Agricultura Orgânica. Série Produtor: Curitiba, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.