Canta canta, minha gente: um estudo de caso sobre a musicoterapia com pacientes portadores de insuficiência renal crônica em hemodiálise

Fernanda Bissani Pivatto, Lydio Roberto Silva, Pierângela Nota Simões

Resumo


Esse estudo trata das alterações psicofisiológicas provocadas pela prática da Musicoterapia durante as sessões de hemodiálise em pacientes portadores de insuficiência renal crônica. Em relação aos objetivos, a pesquisa é um estudo de caso de caráter exploratório e descritivo, realizado com um grupo de pacientes dialíticos da Clínica de Doenças Renais - Evangélico / Ulisses que é parte do Grupo Pró-Renal Brasil. Do ponto de vista da abordagem metodológica, o estudo caracterizou-se com uma investigação de caráter misto, ou seja, quantitativa e qualitativa. Para a sustentação teórica da pesquisa, buscaram-se autores como Leinig (1997), Bruscia (2000), McClellan (1994), Jourdain (1998), Lopes (2004), Hagemann (2015), entre outros. Os resultados obtidos nesse estudo, ainda que indiquem percentualmente questões relativas à Musicoterapia na sessões de hemodiálise, tornaram-se mais expressivos quando do relato espontâneo dos pacientes, em que a dimensão qualitativa pode ser evidenciada e refletida.
Palavras-chave - Musicoterapia. Hemodiálise. Efeitos Psicofisiológicos da Música. Promoção de Saúde.


Texto completo:

VISUALIZAR PDF

Referências


AZEVEDO, C. E. F.; OLIVEIRA, L. G.L, GONZALEZ, R. K.; ABDALLA, M. M.

Estratégia de Triangulação: Objetivos, Possibilidades, Limitações e

Proximidades com o Pragmatismo. IV Encontro de Ensino e Pesquisa em

Administração e Contabilidade. Rev. EnEPQ, 2013. Disponível em:

. Acesso em: 10/11/2015.

BARCELLOS, L. R. M.; SANTOS, M. A. C. A natureza polissêmica da música e a

musicoterapia. Rev. Brasileira de Musicoterapia. Ano I. Número 2. Rio de

Janeiro: UBAM, 1996. p.5-18.

BARBERATO S. H.; PECOITS F. R. Influência da redução da pré-carga sobre o

índice de desempenho miocárdico (Índice de Tei) e outros parâmetros

Doppler ecocardiográficos da função ventricular esquerda. Arq Bras

Cardiol. 2006; 86(6): 425-31. Disponível em: . Acesso

em: 10/11/2015.

BLASCO, F. Evaluación de los efectos psicológicos de la música através de un

diferencial semántico. Rev. Brasileira de Musicoterapia. Ano I. Número 2. Rio

de Janeiro: UBAM, 1996. p.5 - 23.

BRASIL, M.L.S.; SCHWARTZ, E. As atividades lúdicas em unidade de hemodiálise.

Acta Health Science, Maringá, 2005, v. 27, n. 1. Disponível em:

. Acesso em 20/10/2015.

BRUSCIA, K. Definindo musicoterapia. 2 ed. Rio de Janeiro: Enelivros, 2000.

CAMPOS, C. J. G.; TURATO, E. R. Tratamento hemodialítico sob a ótica do doente

renal: Estudo clínico qualitativo. Rev. Brasileira de Enfermagem, 63:799-805.

Disponível em: . Acesso em: 20/11/2015.

CAVALCANTE, F. A.; SAAR. G. Q. RAMOS, L. S. R.; LIMA, A. A. de M. O uso do lúdico

em hemodiálise: buscando novas perspectivas na qualidade de atendimento

ao paciente no centro de diálise. Rev. Eletrônica da Facimed, v. 3, n. 3. 2011.

Disponível em: . Acesso em: 05/11/2015.

CHIZZOTTI, A. A pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez,

COSTA, C. M. O despertar para o outro. São Paulo: Summus Editorial, 1989.

CUNHA, R.; VOLPI, S. B. A prática da musicoterapia em diferentes áreas de atuação.

Rev. Científica/FAP, Curitiba, v.3, p.85-97, jan./dez. 2008. Disponível em:

. Acesso em: 15/04/2015.

GIONNOTTI, L.A.; PIZZOLI, L. M. L. Musicoterapia na dor: diferenças entre os

estilos jazz e new age. Nursing, 2004; 71 (7): 35-41. 25. Disponível em:

. Acesso em: 05/11/2015.

HAGEMANN, P. M. S. O efeitos da musicoterapia na qualidade de vida e nos

sintomas depressivos do paciente em hemodiálise. Dissertação de Mestrado

em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem – UNESP, 2015.

JOURDAIN, R. Música, Cérebro e Êxtase: Como a música captura nossa

imaginação. Ed. Objetiva. Rio de Janeiro, 1998.

LEINIG, C. E. Tratado de Musicoterapia. São Paulo: Sobral Editora Técnica

Artesgráficas, 1977.

LOPES, H.H; SADALA, M.L.A; LORENÇON, M. A experiência de ser dependente

da máquina da hemodiálise. J. Bras. de Nefrologia – XII Congresso Brasileiro

de Enfermagem em Negrologia – Número 3-Supl. 2, 2004. Disponível em:

. Acesso em: 15 abr. 2015

MACHADO, L. R. C.; CAR, M. R.; A dialética da vida cotidiana de doentes com

insuficiência renal crônica: entre o inevitável e o casual. Rev Esc Enferm USP.

; 37 (3): 27-35. Disponível em: . Acesso em:

/11/ 2015

MARTINS. M. C. F. N.; BÓGUS, C. M. Considerações sobre a metodologia qualitativa

como recurso para o estudo das ações de humanização em saúde. Rev

Saúde e Sociedade v.13, n.3, p.44-57, set-dez 2004. Disponível em:

. Acesso em: 10/11/2015

MARTINS, M. R. I, CESARINO C. B. Qualidade de vida de pessoas com doença renal

crônica em tratamento hemodialítico. Rev Latino-am Enfermagem, 2005 set-out

(5):670-6. Disponível em: . Acesso em: 20/10/ 2015

McCLELLAN, R. O poder terapêutico da música. São Paulo: Siciliano, 1994.

Ministério da Saúde: Diretrizes clínicas para o cuidado ao pacotes com doença

renal crônica - DRC no Sistema Único de Saúde, 2014. Disponível em:

. Acesso em: 15/05/2015.

Organização Mundial da Saúde - OMS. Disponível em: .

Acesso em: 21/07/2015.

Resolução da Diretoria Colegiada - RDC - Nº 154/2015 - ANVISA - Disponível em:

. Acesso em: 21 jul. 2015

RIBEIRO, R. C. H. M. et al. O perfil sócio-demográfico e as principais complicações

intradialíticas entre pacientes com insuficiência renal crônica em hemodiálise.

Arq. Ciênc. Saúde, 2009. Disponível em: . Acesso em:

/11/2015.

RIELLA, M.C. Princípios de Nefrologia e Distúrbios Hidroeletrolíticos. 4° ed. Rio

de Janeiro: Guanabara Koogan; 2003.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA - SBN. Censo de diálise SBN 2013.

São Paulo, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20/05/2015.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA - SBN. Insuficiência renal. São Paulo,

Disponível em: . Acesso em: 15/10/2015.

SOUZA E.; PANDYA S. Previna-se - Salve Seus Rins - Guia Completo para

Pacientes Renais. 1ª Edição. Rio de Janeiro: Samarpan Kigney Foundation,

QUEIROZ, C.M.T. Comprometimento cognitivo e qualidade de vida de pacientes

com insuficiência renal crônica avançada. Dissertação (Mestrado em Saúde

Coletiva) - Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista,

Botucatu, 2010.

ZANINI, C. R. O.; JARDIM, P. C. B. V.; SALGADO, C. M.; NUNES, M. C.; URZÊDA.

F. L.; CARVALHO, M. V. C.; PEREIRA, D. A.; JARDIM, T. S. V.; SOUZA, W. K.

S. B. O efeito da musicoterapia na qualidade de vida e na pressão arterial do

paciente hipertenso. Arq Bras Cardiol. [S.l.], v. 93, n. 5, p. 534-540, 2009.

Disponível em: . Acesso em 15/04/2015.

Recebido em: 28/04/2016

Aceito em: 15/07/2016


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Governo do Estado do Paraná
Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
InCantare: R. Pesq. Musicoterapia, Curitiba, Faculdade de Artes do Paraná, ISSN 2317-417X