CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA AS LICENCIATURAS EM MATEMÁTICA DO BRASIL

MARCIO UREL RODRIGUES, LUCIANO DUARTE SILVA, ROSANA GIARETTA SGUERRA MISKULIN, NILTON CEZAR FERREIRA

Resumo


Este artigo objetiva compreender as possibilidades e contribuições do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID, para os Cursos de Licenciaturas em Matemática no Brasil. Visando atender a esse objetivo, configura-se a questão norteadora: Quais são as contribuições do Pibid para as Licenciaturas em Matemática no Brasil? Os dados foram constituídos a partir de Questionários respondidos por 394 participantes (coordenadores de área, supervisores e licenciandos) do Pibid/Matemática de 83 Instituições de Ensino Superior no Brasil, e Entrevistas com coordenadores institucionais ou de gestão do Pibid nas IES, bem como com a diretora da DEB/Capes. Os dados foram analisados por meio de alguns conceitos da Análise de Conteúdo elucidados por Bardin (1977). Esses procedimentos nos conduziram à identificação de doze possibilidades e contribuições proporcionadas pelo Pibid como política pública de formação de professores para os cursos de Licenciatura em Matemática do Brasil.


Palavras-chave


Pibid. Formação de Professores de Matemática. Licenciaturas em Matemática

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, M. A Equipe Gestora deve acolher e ajudar o Professor Iniciante. Revista Nova Escola. Edição 266. Outubro 2013. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/formacao/entrevista-marli-andre-763401.shtml. Acesso em 10 set 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977, 229 p.

BERNARDINO, C. L.; FERNANDES, A. C. F. Pibid-Matemática/Unesp, Rio Claro: Resultados e Contribuições para a Formação de Professores e Alunos da Escola Parceira. Relato de Experiência. In: ENCONTRO NACIONAL Pibid/MATEMÁTICA, UFSM, Santa Maria/RS, 2012. Anais... Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2013.

BRASIL. Lei nº 12.796/13, de 04 de abril de 2013. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 4 de abril de 2013.

CAMPELLO, B. S. Encontros científicos. In: CAMPELLO, B. S; CENDÒN, B. V; KREMER, J. M. (Org.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

CAPES. Relatório de Gestão (2009-2013). Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica – DEB. Brasília. 2014.

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. L. Relationships of knowledge of practice: teacher learning in communities. In: IRAN-NEJAD, A.; PEARSON, C. D. (Eds.). Review of Research in Education, Washington, DC, v. 24, p. 249-305, 1999.

______. Teacher Learning Communities. In: GUTHRIE, J. (Ed.). Encyclopedia of Education. 2ª Edição. New York: Macmillan, 2002, p. 2461-2469.

D’ AMBROSIO, U. Prefácio. In: BORBA, M. C.; ARAÚJO, J. L. (Org.). Pesquisa Qualitativa em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. 120 p.

D’AMBRÓSIO, B. S; D’AMBRÓSIO, U. Formação de professores de Matemática: professor-pesquisador. Atos de Pesquisa em Educação. PPGE/ME FURB. v. 1, nº 1, p. 75-85, jan./abr. 2006.

DINIZ-PEREIRA, J. E. O Plano Nacional de Educação e as Questões sobre a Valorização e Formação do Profissional da Educação. Interfaces da Educação, Paranaíba, v. 4, n. 10, p. 78-91, 2013.

FELÍCIO. H. M. S. O Pibid como “terceiro espaço” de formação inicial de professores. Revista Diálogo Educacional, v.14, n.42, 2014. Curitiba/PR.

FOERSTE, E. Parceria na Formação de Professores. São Paulo: Cortez, 2005.

FRANCISCO, C. A. Uma leitura da prática profissional do professor de Matemática. 2009. Tese (Doutorado) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas de Rio Claro, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro/SP, 2009. 189 f.

GATTI, B. A; BARRETO, E. S. S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009. 294 p.

______. Licenciaturas: crise sem mudança? In: DALBEN, A. et al (org.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. 818p. p. 485-508 (Didática e prática de ensino).

______. Políticas Docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: Ministério da Educação, 2011. 295p.

______. (Org.). Um estudo avaliativo do Programa institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid). Textos - Fundação Carlos Chagas, n. 41, 120 p. ISSN: 1984-6002. São Paulo, 2014.

GATTI, B. A; ANDRÉ, M. (Org). Um estudo avaliativo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid). Textos – Fundação Carlos Chagas, 41, 120 p. ISSN: 1984-6002, São Paulo/SP. 2014.

LACERDA, A. L. et al. A Importância dos Eventos Científicos na Formação Acadêmica: Estudantes de Biblioteconomia. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 13, n. 1, p. 130-144, jan./jun. 2008.

PAMPLONA, A. S.; COSTA, W. N. G. As Influências do Pibid na Formação do Professor Pesquisador. In: TORRES, Glauce Viana de Souza [et al.]. Dimensões da iniciação à docência: saberes e práticas do PIBID na UFMT (2009-2013). – Cuiabá: EdUFMT, 2015. 485 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.