Além do Sítio: Monteiro Lobato entre outros tons – práticas de leitura mediada na escola básica

Ana Clara da Silva Novo, Laís Guimarães Teixeira Eunápio da Conceição, Luciene de Albuquerque Sondermann, Patricia Ferreira Neves Ribeiro

Resumo


O contato com a realidade da sala de aula no período da universidade é um diferencial importante para a formação do futuro profissional. Essa oferta de uma formação que coloca o licenciando em diálogo reflexivo com a prática docente encontra suporte em projetos como o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID). O presente trabalho, acolhido no seio do PIBID-UFF, da subárea Língua Portuguesa, tem por finalidade apresentar um relato de experiência de um trabalho com a língua portuguesa sob uma perspectiva mais inovadora, que articula gêneros textuais e ações mediadas de leitura, e menos normativa, no desenvolvimento das competências linguístico-discursivas de estudantes de Ensino Médio. Mais especificamente, relatam–se atividades desenvolvidas em uma turma do 3º ano do Colégio Estadual Machado de Assis, localizado na cidade de Niterói, pautadas sobre o gênero textual manifesto. Escrito por Monteiro Lobato, em 1936, o 'Manifesto do petróleo' foi o texto selecionado para o trabalho. A partir de sua leitura dramatizada, desencadeou-se, em sala de aula, um trabalho de leitura mediada em tripla dimensão – textual, contextual e intertextual – do que resultaram produções de sentido referentes aos mecanismos linguístico-discursivos empregados no texto, aos conhecimentos de mundo dos leitores em formação e aos dados da atualidade (como o escândalo da Petrobrás) em circulação na mídia. Como resultado, evidencia-se o amadurecimento de alunos como leitores em formação, na produção de textos argumentativos em gêneros variados, como redação de vestibular e panfleto.

Palavras-chave


escola; aprendizagem; formação docente

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNO, M. Dramática da língua portuguesa. São Paulo: Loyola, 2000.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BEZERRA, M. A. Ensino de língua portuguesa e contextos teórico-metodológicos. In: Gêneros Textuais e Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). Ensino Médio. Brasília, MEC: SEF, 2000.

CASTILHO, A. de. A língua falada no ensino de português. São Paulo: Contexto, 1998.

COSSON, R. O espaço da literatura na sala de aula. Literatura. Brasília: MEC, 2010, pp. 55-68. (Coleção Explorando o ensino, vol.20).

COSTA, S. R. Dicionário de gêneros textuais. Minas Gerais: Autêntica, 2008.

LOBATO, M. O Poço do Visconde. São Paulo: Círculo do Livro, s/d.

_________________. O escândalo do petróleo e Ferro. In: Obra completa. São Paulo: Editora Brasiliense, 1956.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: Gêneros Textuais e Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

MENDONÇA, M. Análise linguística no ensino médio: um novo olhar, um outro objeto. In: BUNZEN, C.; MENDONÇA, M. (orgs.). Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola, 2006, pp. 199-226.

OLIVEIRA, M. F. A.; MENEZES, D. de A. Literatura na formação do leitor: perspectivas para a educação básica. In: Leitura e mediação: reflexões sobre a formação do professor. São Paulo: Mercado das Letras, 2013.

http://exame.abril.com.br/economia/noticias/escandalo-da-petrobras-e-ma-noticia-para-economia-em-2015 (acessado em 10/05/2015)


Apontamentos

  • Não há apontamentos.