“Queria emprestar o livro que eu quisesse”: as crianças e a biblioteca escolar

Giana Amaral Yamin, Juliane Ferreira Vieira, Cecília da Silva Barros

Resumo


Neste artigo, discute-se o funcionamento e a organização de bibliotecas escolares a partir de pesquisa realizada com crianças do quarto ano do Ensino Fundamental a respeito de atividades de leitura. Os dados coletados delinearam as ações do Programa Institucional de Bolsas de Apoio à Docência (PIBID), da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. A investigação revela que as experiências das crianças na biblioteca escolar precisam ser ampliadas, que as crianças desejam frequentar mais vezes o espaço da biblioteca e esperam que possam, nele, ouvir histórias e realizar “menos tarefas escolares”. Como resultado, a fim de contribuir para o comportamento leitor dos alunos, discute-se que a efetivação de uma biblioteca viva demanda apoio de políticas públicas, bem como discussão acerca de concepções de alfabetização e letramento. Essas ações favorecem o rompimento do imaginário das crianças de que a biblioteca é um lugar onde são veiculados exercícios de cópia de assuntos sem sentido. O artigo indica, finalmente, às bolsistas pibidianas, futuras pedagogas, alguns desafios que devem nortear seu fazer docente no sentido de que possam inserir a leitura no contexto da escola como ferramenta essencial no processo ensino-aprendizagem. 


Palavras-chave


Pibid, formação de professores, biblioteca escolar, projeto de leitura, pesquisa com crianças.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENA, D. B. Leitura no espaço da biblioteca escolar. In: SOUZA, R.J. (Org.). Biblioteca escolar e práticas educativas: o mediador em formação. Campinas: Mercado das Letras, 2009. p 157- 185.

BALDI, E. Leitura nas séries iniciais: uma proposta para formação de leitores de literatura. Porto Alegre: Projeto Editora, 2009. 176p.

BRITTO, L.P. L. Leitura e formação na educação escolar. In: SOUZA, R.J (Org.). Biblioteca escolar e práticas educativas: o mediador em formação. Campinas: Mercado das Letras, 2009. p 187- 204.

CAMPOS, M. M. Por que é importante ouvir a criança? A participação da criança pequena em pesquisa científica. In: CRUZ, S. H. V (Org.). A criança fala. A escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008, p. 35-42.

FERREIRA, E. A. G. R. A leitura dialógica como elemento de articulação. In: SOUZA, R. J (Org.). Biblioteca escolar e práticas educativas: o mediador em formação. Campinas: Mercado das Letras, 2009. p 69 -96.

HOFFMANN, J. Avaliação na pré-escola: um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. 17 ed. Porto Alegre: Mediação, 2011. 91p.

LEAL, T. L et al. Porque trabalhar com sequências didáticas? In: FERREIRA, A. T. B;. ROSA, E. C. G. (Orgs.) O fazer cotidiano da sala de aula. Organização do trabalho pedagógico no ensino da língua materna. Belo Horizonte: Autêntica, 2012, p.143- 173.

GOBBI, M. Múltiplas linguagens de meninos e meninas na educação infantil. In: I Seminário Nacional Currículo em Movimento. Perspectivas Atuais, I,. Anais Currículo em Movimento Perspectivas Atuais. Belo Horizonte, 2010, p. 01-21.

MACIEL, F. I. P. O PNBE e o CEALE: de como semear leituras. In: PAIVA, A;. SOARES, M. (Orgs). Literatura infantil: políticas e concepções. Belo Horizonte: Autêntica, 2008, p. 07-20.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. Editora: Parábola, 2008. 293p.

MELLO, S. A. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. In: Perspectiva, Florianópolis, n. 1, 2007, p. 83-104.

NERY, A. Modalidades organizativas do trabalho pedagógico: uma possibilidade. In: BRASIL, Ministério da Educação. Ensino Fundamental de nove anos: orientações para a inclusão das crianças de seis anos de idade. Brasília: FNDE, 2006, p. 109-135.

ROSA, E. C.S. Ler e escrever no cotidiano escolar: há lugar para a biblioteca escolar? In: FERREIRA, A. T. B; ROSA, E. C. S (Orgs.). O fazer cotidiano da sala de aula. Organização do trabalho pedagógico no ensino da língua materna. Belo Horizonte: Autêntica, 2012, p. 65-83.

SILVA, E. T. Da necessidade de somatória de energias para enfrentar a problemática da leitura no Brasil. In: NETO, J. C. M (Org). PLL: textos e histórias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010, p. 175- 179.

SILVA, R. J. Biblioteca Escolar: Organização e Funcionamento In: SOUZA, R. J (org.). Biblioteca escolar e práticas educativas: o mediador em formação. Campinas: Mercado das Letras, 2009. p 115 - 134.

SOLÉ, I. Estratégias de Leitura. 6ª ed. Porto Alegre: Artmed, 1998. 194p.b

YUNES, E. Era uma vez a leitura. In: NETO, J.C.M. (Org). PLL: textos e histórias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010, p. 153-156.

VITÓRIA, M. I. C. Múltiplas Linguagens na educação infantil: a criança sob nova ótica, nova ética e nova estética. Revista Ágora: Porto Alegre: Secretaria Municipal de Educação, 2010. Disponível em: http://websmed.portoalegre.rs.gov.br/escolas/revistavirtualagora/ano12010.htm.Acesso em 12 jan, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.