O PIBID DA LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL: REFLEXÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA VIVIDA POR UMA BOLSISTA

TALITA Bertão, Marcia Duarte, Juliane Campos

Resumo


O contexto atual brasileiro apresenta um significativo avanço legislativo, em relação a matrículas dos alunos Publico Alvo da Educação Especial- PAEE, nas escolas do ensino regular da escola comum. Diante disso esse relato buscou responder a seguinte questão: Tendo em vista que esses alunos estão frequentando as salas de aula das escolas comuns surgiram algumas reflexões: como está acontecendo o aprendizado dos conteúdos curriculares dos alunos com deficiência? É necessário fazer adaptação curricular para que esses alunos participem das atividades propostas pelo professor regente?  Como os bolsistas do Programa de Iniciação à Docência – PIBID da Educação Especial contribuem na inclusão escolar desses alunos? O presente texto tem por objetivo relatar as atividades realizadas por uma bolsista do Programa Institucional à Docência (PIBID) - Educação Especial, durante o segundo semestre de 2014. O estudo foi realizado em uma escola da rede estadual paulista, localizada na periferia da cidade de São Carlos - SP, na classe do 9º ano do Ensino Fundamental. O foco foi conhecer a organização do trabalho pedagógico dos professores das disciplinas de português e matemática, junto ao aluno com deficiência intelectual; bem como trabalhar de forma colaborativa com estes professores possibilidades de estratégias de ensino para o referido aluno, adaptando atividades para os alunos PAEE em coerência com os conteúdos ministrados em sala. Os resultados mostram a efetividade do trabalho colaborativo no ensino e aprendizagem dos alunos com deficiência intelectual.


Palavras-chave


Educação Especial, PIBID, Adaptação Curricular

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Projeto Escola Viva - adaptações curriculares de pequeno porte. Garantindo o acesso e permanência de todos os alunos na escola - alunos com necessidades educacionais especiais. Brasília: MEC/SEESP, 2000.

______. INEP. Censo Escolar, 2012. Disponível em:

______. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva. Ministério da Educação. Brasília, 2008.

____________. Portaria normativa nº 16, de 23 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o PIBID Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. Diário Oficial [da] República Federativa da Brasil, Brasília, 24 de dezembro de 2009. Seção 1, p. 92.

CARVALHO, R.E. Educação Inclusiva: com os pingos nos “is”. Porto Alegre: Editora mediação, 2004.

DINIZ, M.; RAHME, M. F. Educação Especial: Da educação especial à educação inclusiva. In: Margareth Diniz, Renata Nunes Vasconcelos. (Org.). Pluralidade cultural e inclusão na formação de professoras e professores; v. 1500, no34. Belo Horizonte: Formato/Saraiva, 2004, p.123-189.

MENDES, E. G. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação Especial. n. 41, p. 81-93, jul./set. 2011.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS. Subprojeto De Iniciação A Docência no Curso de Educação Especial, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.