Flexibilidade de praticantes e não praticantes de judô

Dayse Aline Souza Amorim, Luana Cristina Barbosa Albertini, Sandra Higino Félix, Terezinha Tavares Magalhães, Wellington Danilo Soares

Resumo


O objetivo desse estudo foi verificar como a prática do judô pode auxiliar na flexibilidade em estudantes de uma escola pública de Montes Claros-MG pertencentes ao projeto ¨Lutas na escola¨do PIBID. Trata de uma pesquisa semi-experimental com presença de um grupo de intervenção e um grupo controle, com pré e pós-teste A amostra foi composta por 60 alunos do sexo masculino e feminino. O instrumento utilizado foi o método linear utilizado para avaliação da flexibilidade através do teste sentar-e-alcançar proposto por Wells e Dillon em 1952. Como instrumento foi utilizado um banco de madeira que mede 35 cm de altura e largura, 40 cm de comprimento com uma régua padrão na parte superior ultrapassando em 15 cm a superfície de apoio dos pés. Os dados enquadraram nos critérios de homogeneização dos dados a partir do teste de Kolmorov Smirnof. Para comparação entre pré e pos-testes foi utilizado o teste T pareado e para comparação entre os grupos investigados foi utilizado o teste t de student. Os resultados obtidos demonstram que houve ganho estatisticamente significativo de flexibilidade entre o pré e pós-teste somente no grupo que praticava o judô. Na comparação entre os grupos foi verificado que o grupo de praticantes apresentou médias de valores de flexibilidades estatisticamente superiores ao grupo controle no pós-teste. Conclui-se que o período de prática de Judô de três meses, num total de 24 sessões se mostrou suficiente para apresentar ganhos significativos de flexibilidade para praticantes nessa faixa etária.


Palavras-chave


Flexibilidade, judô, adolescentes, PIBID.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ARAÚJO, C.G.S.; PEREIRA, M.I.R.; FARINATTI, P.T.V. Body flexibility profile from childhood to senior. Med Sci Sports Exerc., 1998. Disponível em: < http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/viewFile/360/412>. Acessado em 16/11/14.

ARAÚJO, R. V. Judô: da história à pedagogia do esporte. 2005.

BAPTISTA, C. F. S. Judô: da escola à competição. 3ed. Rio de Janeiro: Sprint, 2003.

BARBANTI, V.J. Treinamento físico: bases científicas. 3ed. São Paulo: CLR Balieiro, 1996.

__________. Treinamento físico: bases científicas. São Paulo: Baliero, 1986.

BORGES, E. O Judô e suas Simbologias Ocidentais. São Luis, 2005. Disponível em: < http://www.ligadejudo.com.br/pordentro4.htm. >. Acesso em 12/03/15.

CALLEJA, C.C. Judô. In: BORSARI, J.R.; FACCA, F.B. (Coord.) Manual de Educação Física. São Paulo: EPU, 1979.

CARVALHO, M.C.G.A. Testes motores específicos para judô, necessidade frente à uma limitada quantidade. Kinesis. Santa Maria, n. 23, p. 179-97, 2000.

CASTRO, E. A.; VENÂNCIO, R. A. F.; DOIMO, L. A.; LOCATELLI, J. Comparação entre dois Métodos de Treinamento para Aprimoramento da Flexibilidade em Judocas da Associação Atlética Acadêmica – Luve/Ufv. Coleção Pesquisa em Educação Física.v.7, 2008.

DANTAS, E.H.M. A Prática da Preparação Física. 5ed. Rio de Janeiro: Shape, 2003.

DANTAS, E.H.M. Flexibilidade: alongamento e flexionamento. 4ed. Rio de Janeiro: Shape, 1999.

ESCOBAR, M. O. A Produção de Conhecimento em Educação Física e o Materialismo Histórico Dialético como Método. Salvador, 2002. Disponível em: . Acesso em 10/02/15.

FERNANDES, J. L. O Treinamento Desportivo: Procedimentos, Organização, métodos. EPU, São Paulo, 1981.

FILHO, Daniel Carreira. A prática esportiva competitiva por crianças: a responsabilidade dos dirigentes. In: www.judobrasil.com.br/d_carr.zip. Acesso em 18/02/15.

FRANCHINI, E. Judô: Desempenho Competitivo. Manole, Barueri, 2001.

FRANCHINI, E. Bases para detecção e promoção de talentos na modalidade Judô. I Prêmio INDESP de Literatura Esportiva. v. 1. Brasília, 1999. p. 15 – 91.

__________. Judô: Desempenho competitivo. 1 ed. Barueri - SP: Manole, 2001.

GRECO, P. J. O Ensino do Comportamento Tático nos Jogos Esportivos Coletivos: Aplicação no Handebol. (Tese de Doutorado). Campinas: UNICAMP. 1995.

GUEDES, D.P.; GUEDES, J.E.R.P. Exercício Físico na Promoção da Saúde. Londrina: Midiograf, 1995. 137 p.

__________ Crescimento, Composição Corporal e Desempenho Motor de Crianças e Adolescentes. São Paulo: CLR Baliero, 1997. 362 p.

HARROW, A.S. Taxionomia do domínio psicomotor: manual para elaboração de objetivos comportamentais em Educação Física. Rio de Janeiro. Globo. (trabalho original publicado em 1972).

HUNGER, D. et al. Projeto de pesquisa: O Judô Brasileiro e sua memória. In: III Encontro nacional da História do esporte, lazer e Educação Física. P.314 a 321, 1995.

IGUMA, E. H. Aspectos do treinamento total no Judô. Rev Educ Fis. v. 1, n. 119, p. 49-63, 1991.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5ed. São Paulo: Atlas 2003.

MELONI, P. H. S.; VENÂNCIO, R. A.; JAMILLE, L.; MILANI, L. A. Análise Morfológica dos Atletas de Judô Participantes do Campeonato Mineiro – 2006 (Viçosa-Mg).

PERRIN, P.; DEVITERNE, D.; HUGEL, F.; PERROT, C. Judo, better than dance, develops sensorimotor adaptabilities involved in balance control. Gait & Posture. Amsterdam, v. 15, p.187–194, 2002. Disponível em: . Acesso em 13301/15.

PREUX, C.G. S. Perfil da Aptidão Física de Praticantes de Judô do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais – Unileste MG. Revista Digital de Educação Física – Ipatinga: Unileste-MG, v.1, p 1-17, Ago-Dez, 2006. Disponível em:< http://www.ombrosdegigantes.com.br/doc/65.pdf >. Acesso em 13/12/2014.

PREUX, C. G.S.; GUERRA, T. C. Perfil da Aptidão Física de Praticantes de Judô do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais – Unileste-MG MOVIMENTUM. Revista Digital de Educação Física. Ipatinga: Unileste-MG - v.1. Ago-Dez. 2006.

ROBERT, L. O judô. 7ed. Lisboa: Notícias, 1983.

ROBERTS, J.M.; WILSON, K. Effect of stretching duration on active and passive range of motion in lower extremity. British J Sports Med. v.33, p.259-263, 1999. Disponível em Acesso em 13/01/15.

ROTH, K. E. N. “ABC” Fúr das Techniktraining im Sport. In: Sportwissenschaft. Schorndorf. R. .F. Alemanha. Hofmann. v.1, p. 9-26, 1990.

SHRIER, I.; GOSSAL, K. Myths and truths of stretching. The Physician and Sportsmedicine, 2000. Disponível em: . Acesso em 20/03/15.

TEIXEIRA, C. G. O.; SANTANA, F. Efeito do Treinamento do Judô sobre a Aptidão Física relacionada à Saúde em Crianças e Adolescentes, 2012.

TUBINO, M.J.G. Metodologia Científica do Treinamento Desportivo. São Paulo: Ibrasa, 1984. 435 p.

WEINECK, J. Biologia do esporte. São Paulo: Manole, 1991.

ZAKAROV, A.; GOMES, A. Ciência do treinamento desportivo. Rio de Janeiro: Grupo Palestra, 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.