Acervos documentais e ensino de História: reflexões sobre as dimensões públicas de um centro de memória

Maria Sílvia Duarte Hadler, Arnaldo Pinto Junior

Resumo


Resumo: Tendo em vista o campo da cultura, observamos a produção contínua de formas de leitura e significação do mundo, de narrativas históricas diversas que buscam conferir sentido às experiências dos sujeitos no tempo, atingindo de forma heterogênea os diferentes grupos e instâncias de uma sociedade. Diante deste cenário, este artigo se propõe a situar a dimensão pública de práticas educacionais articuladas ao ensino de História, desenvolvidas a partir de um projeto de extensão formulado em torno de acervos documentais localizados no Centro de Memória-Unicamp (CMU). O referido projeto buscava promover a aproximação entre professores e estudantes dos anos iniciais do Ensino Fundamental de escolas públicas de Campinas e o CMU, envolvendo a possibilidade de utilização de documentos arquivísticos em atividades de ensino da história local a partir da temática do patrimônio cultural. Pudemos experienciar situações de produção de conhecimento histórico educacional, o que também nos permitiu reflexões sobre as relações entre ensino de História e História Pública. A disponibilização de variadas fontes documentais pertencentes ao acervo do CMU, paralelamente às análises e discussões partilhadas com os professores, abriu caminho para o exercício de leituras plurais relativas à história da cidade e de seus diferentes grupos sociais. Foram desenhadas possibilidades de maior contato com a diversidade de experiências humanas se movimentando nos espaços urbanos. A dimensão pública do ensino de História, como também o caráter público das frentes  de divulgação do conhecimento histórico por meio do CMU tornaram-se mais visíveis em vista do reconhecimento de sua potencialidade de participação nas disputas de narrativas nos espaços coletivos, fazendo parte de modo ativo e criativo da produção da cultura, bem como da memória social.

Palavras-chave:  história pública, centro de memória, práticas educacionais, produção da cultura, ensino de história 


Palavras-chave


história pública, centro de memória, práticas educacionais, produção da cultura, ensino de história

Texto completo:

174-190

Referências


ANDRADE, E. P.; ANDRADE, N. História Pública e Educação: tecendo uma conversa, experimentando uma textura. In: MAUAD, A. M.; ALMEIDA, J. R.; SANTHIAGO, R. (Orgs.). História Pública no Brasil: sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016, p. 175-184.

BARBOSA, M. Imprensa e História Pública. In: MAUAD, A. M.; ALMEIDA, J. R.; SANTHIAGO, R. (Orgs.). História Pública no Brasil: sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016, p.121-131.

BENJAMIN, W. Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

_____. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e

história da cultura. 3ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1987 (Obras escolhidas; v. 1).

FERREIRA, M. R. R. História, memória e educação das sensibilidades: o processo de patrimonialização da Casa Lambert de Santa Teresa - ES. 2015. 190f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

FONSECA, T. N. L. Ensino de História e História Pública. In: MAUAD, A. M.; ALMEIDA, J. R.; SANTHIAGO, R. (Orgs.). História Pública no Brasil: sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016, p. 185-194.

GALZERANI, M. C. B. Memória, cidade e educação das sensibilidades. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, v. 20, n. 23, p. 1-6, jan./jun. 2012. DOI: https://doi.org/10.20396/resgate.v20i23.8645722. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2020.

_____. Práticas de ensino em projeto de educação patrimonial: a produção de saberes educacionais. Pro-posições, Campinas, v. 24, n. 1 (70), p. 93-107, jan./abr. 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73072013000100007. Disponível em: . Acesso em 28 fev. 2020.

_____. Memória, tempo e história: perspectivas teórico-metodológicas para a pesquisa em ensino de história. Cadernos CEOM, Chapecó, v. 21, n. 28, p. 15-31, 2008. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2020.

GAY, P. A experiência burguesa da Rainha Vitória a Freud: a educação dos sentidos. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

GONÇALVES, J. R. S. Monumentalidade e cotidiano: os patrimônios culturais como gêneros de discurso. In: OLIVEIRA, L. L. (Org.). Cidade: história e desafios. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002, p. 108-123.

_____. Ressonância, materialidade e subjetividade: as culturas como patrimônios. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 11, n. 23, p. 15-36, jan./jun. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-71832005000100002. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2020.

GUIMARÃES, M. F. Patrimônio Cultural e Ensino de História: problematizando a colonização do presente pelo passado. In: ZAMBONI, E.; GALZERANI, M. C. B.; PACIEVITCH, C. (Orgs.). Memória, Sensibilidades e Saberes. Campinas, São Paulo: Editora Alínea, 2015, p. 90=102.

HADLER, M. S. D. Trilhos de modernidade: memórias e educação urbana dos sentidos. São Paulo: Letra e Voz, 2018.

KOYAMA, A. C. Lembranças, Esquecimentos e Narrativas: questões incômodas sobre história e memória na educação e nos arquivos. In: PARRELA, I. D.; KOYAMA, A. C. (Orgs.). Arquivos, Arte & Educação: diálogos nas fronteiras do conhecimento. Belo Horizonte: Escola de Ciência da Informação, Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação, 2018, p. 11-25.

PENNA, F. A.; SILVA, R. C. A. As operações que tornam a história pública: a responsabilidade pelo mundo e o ensino de história. In: MAUAD, A. M.; ALMEIDA, J. R.; SANTHIAGO, R. (Orgs.). História Pública no Brasil: sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016, p. 195-205.

PENNA, F. A.; FERREIRA, R. A. O trabalho intelectual do professor de História e a construção da educação democrática: práticas de história pública frente à Base Nacional Comum Curricular e ao Escola Sem Partido. In: ALMEIDA, J. R.; MENESES, S. (Orgs.). História Pública em debate: patrimônio, educação e mediações do passado. São Paulo: Letra e Voz, 2018, p. 109-127.

WANDERLEY, S. Didática da História escolar: um debate sobre o caráter público da História ensinada. In: ALMEIDA, J. R.; MENESES, S. (Orgs.). História Pública em debate: patrimônio, educação e mediações do passado. São Paulo: Letra e Voz, 2018, p. 94-108.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.