Motivação dos licenciandos em Química no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Ricardo Castro Oliveira, Jackson Gois

Resumo


A motivação exerce um papel muito importante no processo educacional, tanto em termos de envolvimento e resultados satisfatórios de desempenho quanto na permanência e êxito dos estudantes no curso. Este estudo apresenta os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo levantar o perfil motivacional dos estudantes dos cursos de Licenciatura em Química do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), com base na teoria da Autodeterminação (DECI; RYAN, 1985). Todos os licenciandos em química de nove cursos em diferentes municípios do estado de São Paulo, desde os ingressantes até os concluintes, foram convidados para participar da pesquisa. A coleta ocorreu por meio da aplicação de um questionário impresso e contou com a participação de 524 estudantes. Os dados foram submetidos ao teste de confiabilidade, cálculo das médias e variâncias dos itens e comparados com os resultados disponíveis na literatura. Os resultados evidenciaram um perfil autodeterminado de motivação em todos os anos dos cursos, prevalecendo médias mais elevadas para as categorias motivação extrínseca por regulação integrada e motivação intrínseca, e baixos valores de média para a desmotivação e motivação extrínseca por regulação por recompensas sociais. A partir do levantamento desse perfil, é possível traçar estratégias e ações visando a resultados satisfatórios de desempenho, permanência e êxito dos estudantes. Espera-se que este trabalho possa contribuir para promover discussões a respeito da importância da motivação na formação de professores de Química.

 

https://doi.org/10.33871/23594381.2020.18.2.127-141


Palavras-chave


Formação inicial de professores, Motivação, Teoria da Autodeterminação, Química

Texto completo:

127-141

Referências


ALMEIDA, D. M. S. A motivação do aluno no ensino superior: um estudo exploratório. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

ARAÚJO, I. R. A motivação de licenciandos em música sob a perspectiva da teoria da autodeterminação. 2015. Dissertação (Mestrado em Música) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

BORUCHOVITCH, E. A motivação para aprender de estudantes em cursos de formação de professores. Educação, Porto Alegre, v. 31, n. 1, p. 30-38, 2008.

BZUNECK, J. A. Como motivar os alunos: sugestões práticas. In: Boruchovitch, E; Bzuneck, J.A; Guimarães, S.E.R (orgs.): Motivação para aprender: aplicações no contexto educativo. 2ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

CANUTO, V. R. Fatores extrínsecos e intrínsecos que motivam a permanência dos alunos do curso em tecnologia em hotelaria do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará com base na teoria da autodeterminação. 2018. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

CARMO, C.R.S. Motivação discente no curso de Bacharelado em Ciências Contábeis: um estudo comparativo entre alunos da modalidade presencial e alunos da modalidade a distância. ConTexto, Porto Alegre, v. 14, n. 26, p. 7-18, 2014.

DECI, E.L.; RYAN, R.M. Intrinsic motivation and self-determination in human behavior. New York: Plenum Press, 1985.

ENGELMANN, E. A motivação de alunos dos cursos de artes de uma universidade pública do norte do Paraná. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação), Londrina, Paraná, 2010.

FREITAS, A. L. P.; RODRIGUES, S. G. A avaliação da confiabilidade de questionários: uma análise utilizando o coeficiente alfa de Cronbach. SIMPEP. Bauru-SP, 2005.

GUIMARÃES, S.E.R.; BZUNECK, J.A. Propriedades psicométricas de um instrumento para avaliação da motivação de universitários. Ciências & Cognição, vol. 13, n. 1, p.101-113, 2008.

JULIÃO, M.S.S.; DA COSTA, I.C.A.; BEZERRA, A.C.S. Fatores geradores de motivação e desmotivação nos licenciandos em Química de uma universidade pública no nordeste brasileiro. Periódico Tchê Química, v.15 n.30. Porto Alegre, RS, 2018.

LEAL, E.A.; MIRANDA, G.J.; CARMO, C.R.S. Teoria da Autodeterminação: uma Análise da Motivação dos Estudantes do Curso de Ciências Contábeis. Revista Contabilidade & Finanças. USP, São Paulo, v. 24, n. 62, p. 162-173, 2013.

LOPES, T.V. Fatores intrínsecos e extrínsecos que interferem na motivação de aprendizagem em estudantes em EaD. 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Controladoria e Finanças). Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2018.

REEVE, J. Self-determination theory applied to educacional settings. In: DECI, E.L; RYAN, R.M. (orgs.). Handbook of Self-determination Research. Rochester, NY: University of Rochester Press, p. 183-203, 2004.

REEVE, J. Motivação & Emoção. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

RYAN, R. M. Psychological needs and the facilitation of integrative processes. Journal of Personality, 63, 397-427, 1995.

RYAN, R.M.; CONNEL, J.P. Perceived locus of causality and internalization: Examining reasons for acting in two domains. Journal of Personality and Social Psychology, 57, 749-761, 1989.

RYAN, R.M.; DECI, E.L. Self-Determination theory and the facilitation of Intrinsic motivation, social development, and Well-Being. American Psychologist, v. 55, n.1, p. 68-78, 2000a.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. Intrinsic and extrinsic motivations: Classic definitions and new directions. Contemporary Educational Psychology, v. 25, n.1, p. 54-67, 2000b.

SILVA, T.D. Educação musical e motivação: um estudo sobre a formação de professores a partir da teoria da autodeterminação. 2014. (Programa de Pós-Graduação em Música da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia), 2014.

SOBRAL, D. T. Motivação do Aprendiz de medicina: uso da escala de motivação acadêmica. Psicologia: Teoria e Pesquisa. v. 19, n.1, p. 25-31, 2003.

SOUZA, I. C. A perspectiva de tempo futuro e a motivação de estudantes de pedagogia. 2008. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação), Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, 2008.

TOLEDO, E.J.L. Estudo da correlação entre motivação, estilo de aprendizagem e os tipos psicológicos Junquiano. Tese de doutorado – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2015.

TOLEDO, E.J.L.; COUTINHO, H.N.; GALDINO, A.S.; MACHADO, V.L.P.; MONTEIRO, F.S. A motivação para ser professor: aspectos quantitativos e qualitativos. Scientia Naturalis, Rio Branco, v. 1, n. 2, p. 83-94, 2019.

VALLERAND, R.J.; PELLETIER, L.G.; BLAIS, M.R.; BRIÈRE, N.M.; SENÉCAL, C. E.; VALLIÈRES, E.F. The academic motivation scale: A measure of intrinsic, extrinsic, and amotivation in education. Educational and Psychological Measurement, 52, 1003–1017, 1992.

VASCONCELOS, A.L.F.S. FREIRE, D.R.; SERCUNDES, J.S. Desafios de aprendizagem autônoma dos estudantes de ciências contábeis do curso de educação a distância a luz da teoria da autodeterminação. Revista Brasileira de Contabilidade, n.222, p.55-65, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.