Imagem para capa

Avaliação de texto e formação docente: reflexões teóricas e metodológicas

Daniela Zimmermann Machado

Resumo


Neste artigo, pretende-se abordar a temática da avaliação de textos em contexto escolar, procurando discutir a partir de um ponto de vista teórico, descritivo e metodológico acerca dos critérios de avaliação de textos e da importância dessa reflexão para a formação de professores. Assume-se, neste estudo, a tese defendida por Wachowicz (2015) de que a avaliação de textos deve priorizar o trabalho com o discurso, com a sequência textual (Adam, 2008) e com a gramática, obedecendo a essa ordem hierárquica e privilegiando questões sociocomunicativas e discursivas da produção textual. A avaliação de sala de aula é um dos elementos de reflexão da prática docente e, considerando as discussões envolvidas no PIBID - Letras (UNESPAR, campus de Paranaguá), destaca-se, neste estudo, a avaliação de textos, que deve seguir uma perspectiva interacionista e sociocognitiva. Neste artigo, defende-se que a avaliação de texto deve ser processual, ou seja, o texto deve ser avaliado a partir da atividade de reescrita, assume-se também que os critérios de avaliação são formulados com base na própria atividade planejada pelo docente, e esses critérios devem ser amplamente apresentados e conhecidos pelos alunos. Este estudo fundamenta-se a partir das discussões de Wachowicz (2015), sobre a avaliação de textos na escola, de Schneuwly e Dolz (2004) sobre a noção de gêneros textuais e ensino, de Fabre-Cols (2002) no que diz respeito ao trabalho de reescrita e da autonomia da produção textual e Kleiman (2005) sobre o entendimento de letramento, conceito que perpassa a discussão deste estudo. Este trabalho aponta para importantes discussões sobre a avaliação de texto na escola, sugerindo encaminhamentos metodológicos que contribuam para a formação docente. O artigo apresenta discussão teórica e abordagens trabalhadas no PIBID - Letras, ano 2019.


Texto completo:

140-156

Apontamentos

  • Não há apontamentos.