JOSEPH WRIGHT, PIBID E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE FÍSICA: ALGUMAS REFLEXÕES PERTINENTES

Awdry Feisser Miquelin

Resumo


Este trabalho trata de uma reflexão crítica2 em torno da natureza do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID)3. No mesmo propõe-se um paralelo entre o trabalho de criação artístico de Joseph Wright, pintor inglês do século XVIII e o possível processo de formação de professores de Física desencadeado pelo PIBID. Para tanto argumenta-se em torno da criação da tela “An experiment of a bird in an airpump” e são apresentadas algumas reflexões em relação, a algumas controvérsias vividas, em como o PIBID pode atuar junto a escola básica. Para tanto apresentam-se as inquietações oriundas do processo vivido no curso de licenciatura de Física da instituição analisada e coloca-se Freire, Carr e Kemmis e Ramalho, Nuñez e Gauthier como núcleo principal para nortear a implementação e prática do PIBID nas escolas participantes. Disto apresentamos como resultado, o sistema de organização de trabalho baseado em árvores temáticas e na espiral de ciclos auto-reflexiva, a inserção dos bolsistas em dinâmicas investigativo-acadêmicas, o aprendizado formativo intenso mediante confronto da realidade escolar e pesquisa em ensino de Física, o amadurecimento da concepção da prática em ensino de Física e o aumento na segurança em ser professor de Física. Disto coloca-se que o PIBID pode ser um instrumento para a formação de professores de Física em um paradigma emergente e que neste, o paralelo entre o trabalho artístico é possível, pois o PIBID pode constituir um palco de experimentação para a formação de professores curiosos e criativos em busca de conhecimento diferenciado para o ensino-aprendizagem de Física.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.