Galáxia e nebulosas em livros didáticos do ensino público primário do oitocentos brasileiro

Elrismar Gomes Oliveira, Cristina Leite

Resumo


Esta pesquisa de caráter histórico, realizada a partir da análise de livros didáticos, procura mostrar o ensino de Astronomia na instrução primária do oitocentos brasileiro. Dentre os assuntos abordados pelos livros, escolhemos para esse trabalho a apresentação de temas relacionados à Astronomia moderna a época: galáxia e nebulosas. Trata-se de uma pesquisa qualitativa constando de análise documental (GODOY, 1995). Sendo a análise fundamentada na Análise Textual Discursiva (MORAES, GALIAZZI, 2011). Os resultados mostram que de um total de dez livros, três, apresentados nesse trabalho, abordam Galáxia e nebulosas. Um deles (autor é fundador da Revista Nature) chega a tratar também de aglomerados, do uso do espectroscópio para observação de elementos do céu e descreve a natureza das nebulosas no processo de formação de outros sistemas planetários. Os resultados indicam que poucos livros recomendados para instrução primária do oitocentos apresentam o ensino de Astronomia coerente a atualidade dos conhecimentos científicos desenvolvidos naquele período. Essa fotografia do ensino do século XIX pouco difere do atual, em que livros e programas abordam timidamente temas modernos e contemporâneos. Consideramos que mostrar como os livros abordam a Astronomia permite conhecer um pouco mais tanto da história do ensino de Astronomia no Brasil quanto da educação no oitocentos brasileiro, período ainda com pequeno número de pesquisas na área da história da disciplinas escolares, principalmente das Ciências Naturais.


Texto completo:

56-73

Referências


BITTENCOURTI, Circe Maria Fernandes. (1993) Livro didático e conhecimento histórico: Uma história do saber escolar. Tese (Doutorado em História Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

BRASIL. (1854) Decreto N. 1331-A de 17 de fevereiro de 1854 do Ministério do Império. Aprova o Regulamento para a reforma do ensino primário e secundário do Município da Corte. Coleção das Leis do Império do Brasil. Recuperado de http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-1331-a-17-fevereiro-1854-590146-publicacaooriginal-115292-pe.html.

BRASIL. (1887) Decreto Nº 9.886 7 de março de 1888. Manda observar o novo Regulamento para a execução do art. 2º da Lei n. 1829 de 9 de Setembro de 1870 na parte que estabelece o Registro civil dos nascimentos, casamentos e obitos, do accôrdo com a autorisação do art. 2º do Decreto n. 3316 de 11 de Junho do 1887. Recuperado de http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-9886-7-marco-1888-542304-publicacaooriginal-50566-pe.html.

BRASIL. (1879) Decreto Nº 7247 de 19 de abril de 1879. Reforma o ensino primário e secundário no Município da Côrte e o superior em todo o Império. Coleção das Leis do Império do Brasil de 1879 – Tomo XLII. Parte I. Rio de Janeiro: Tipografia Nacional. Recuperado de http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-7247-19-abril-1879-547933-publicacaooriginal-62862-pe.html.

BRASIL. (1889) Decreto nº 981, de 8 de novembro de 1890, do Governo Provisório da República. Approva o Regulamento da Instrucção Primaria e Secundaria do Districto Federal. Recuperado de http://www6.senado.gov.br/legislacao/ListaPublicacoes.action?id=65346.

BRETONES, Paulo Sérgio. (1999) Disciplinas introdutórias de Astronomia nos cursos superiores do Brasil. Dissertação de Mestrado, Instituto de Geociências, UNICAMP.

GESTEIRA, H. M.. (2014) Práticas astronômicas nos confins as América: instrumentos e livros científicos na construção do Brasil (1750-1760), in Oscar Matsuura (org.), História da astronomia no Brasil. Ed. São Paulo.

GODOY, Arilda Schmidt. (1995) Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, [s.l.], v. 35, n. 3, p. 20-29. FapUNIFESP (SciELO). Recuperado de http://dx.doi.org/10.1590/s0034-75901995000300004.

HAIDAR, Maria de Lourdes Mariotto. (1972) O ensino secundário no Império brasileiro. São Paulo: Gribaldo, USP.

HALLEWELL, Laurence. (2012) O livro no Brasil: sua história. 3 ed. rev. Trad. Maria da Penha Villalobos. São Paulo: Edusp.

HOSOUME, Yassuko. et al. (2010) Ensino de Astronomia no Brasil - 1850 à 1950 - um olhar pelo Colégio Pedro II, Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v.12, n. 2, p.189-204. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/epec/v12n2/1983-2117-epec-12-02-00189.pdf.

LOPES, Alice Ribeiro Casemiro. (1997) Conhecimento escolar: processos de seleção cultural e mediação didática. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 1, p. 95-112, jan.-jun. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71466.

LORENZ, Karl Michael. (2007) A biblioteca do ensino intuitivo e o ensino de ciências na escola primária brasileira: 1880-1900. Educação em Questão. v. 28, n. 14, p.7-23. Recuperado de https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/4462/3653.

LORENZ, Karl Michael. (2003) A influência francesa no ensino de ciências e matemática na escola secundária brasileira no século XIX. Congresso Brasileiro de História da Educação. Recuperado de http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe2/pdfs/Tema3/0306.pdf.

MAIA, Eduardo J. P.. (2014) A Geografia Escolar na Província de Minas Gerais no período de 1854 a 1889. Tese de Doutorado (Educação) – Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Recuperado de http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/BUOS-9JLKHB/tese_eduardo_maia.pdf?sequence=1.

MORMÊLLO, Ben Hur, SIQUEIRA, Rogério Monteiro de. (2011) A gênese ilustrada da Academia Real Militar e suas onze reformas curriculares (1810-1874). História da Ciência e Ensino: construindo interfaces, v. 3, p. 17-30. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/index.php/hcensino/article/view/5672.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. (2011) Análise textual discursiva. Injuí.: Ed. Unijuí.

MOTTA, Cristina Dalva Van Berghem; BROLEZZI, Antônio Carlos. (2008) A influência do positivismo na história da educação matemática no Brasil. Universidade de São Paulo, 2008. Recuperado de http://www.faced.ufu.br/colubhe06/anais /arquivos/426CristinaDalva_AntonioCarlos.pdf.

MOURÃO, Ronaldo Rogerio de Freitas. (1987) Dicionário enciclopédico de astronomia e astronáutica. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira S. A.. 956p. Recuperado de http://www.museumaconicoparanaense.com/MMPRaiz/Biblioteca/1967Ronaldo%20Rogerio%20de%20F.%20Mourao%20-%20Dicionario%20Enciclop%E9dico%20de%20Astronomia.pdf.

NASCIMENTO, Tatiana Galieta; ALVETTI, Marco AS. Temas científicos contemporâneos no ensino de Biologia e Física. Ciência & Ensino, v. 1, n. 1, p. 29-39, 2006.

OLIVEIRA, Elrismar Auxiliadora Gomes. LEITE, Cristina. (2015) Astronomia nos programas da instrução primária do oitocentos. X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Águas de Lindóia, SP. Recuperado de http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/lista_area_10.htm.

OLIVEIRA, Elrismar Auxiliadora Gomes. (2017) Trajetória da Astronomia na legislação educacional e nos livros didáticos da instrução primária do oitocentos brasileiro, Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação Interunidades. Universidade de São Paulo: Faculdade de Educação, Instituto de Física, Instituto de Química e Instituto de Biociências. São Paulo-SP.

PESSOA, Rodrigo Bezerra. (2007) Um olhar sobre a trajetória da geografia escolar no Brasil e a visão dos alunos de ensino médio sobre a geografia atual.. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal da Paraíba. Recuperado de http://www.geociencias.ufpb.br/posgrad/dissertacoes%20/rodrigo_pessoa.pdf

PROVÍNCIA de São Paulo. (1846) Lei n. 34, de 16 de março de 1846. “Dá nova organização às escolas de instrução primária, e cria uma escola normal. Recuperado de http://www.al.sp.gov.br/alesp/normas/.

SILVA, Jeane Medeiros. (2012) A bibliográfica didática de geografia: história e pensamento do ensino geográfico no Brasil (1814-1930 ...). Tese (Doutorado). Universidade Federal de Uberlândia. Minas Gerais. Recuperado de https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/15953/1/t.pdf.

SOBREIRA, Paulo Henrique Azevedo. (2006) Cosmografia geográfica: a Astronomia no Ensino de Geografia, Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Geografia Física, São Paulo: FFLCH/USP, 2006.

VECHIA, Ariclê; LORENZ, Karl Michael. (1998) Programa de ensino da escola secundária brasileira: 1850-1951. Curitiba: Ed. do Autor.

Referências dos livros analisados

GAULTIER, L.. (1838) Lições de Geographia. Inteiramente refundidas e consideravelmente augmentada por seus discipulos [...]. Traduzidas em vulgar e accrescentadas com muito importantes addicionamentos [...] de litteratos portuguezes. Acompanhadas de uma estampa geométrica e cosmographica. Paris: J.-P. Aillaud, Guillard & Cia.. 331 p. in-18.

MONTEVERDE, Emílio Achilles. (1865) Manual enciclopédico para uso das escolas de instrucção primaria. [...] Approvado pelo Conselho de Instrucção Publica. 8ª edição, Lisboa: Imprensa Nacional, 1865.

LOCKYER, J. N. (1976) Astronomia, adaptada ao portuguez por Carlos Jansen. Approvada pelo Conselho de Instrução Publica da Côrte e adoptada como texto nas escolas primarias por aviso de 22 de agosto de 1882. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976. 172 p. in- 8º.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.