Uso Tecnologia Móvel para o estudo do Movimento Aparente do Sol

Carlos Maximiliano Dutra, Andrea Berro Vernier

Resumo


O Movimento Aparente do Sol é um tema constante nas diretrizes curriculares nacionais para a área de Ciências do Ensino Fundamental nos últimos 20 anos, esses documentos primam pelo desenvolvimento não apenas teórico, mas também observacional a cerca desse fenômeno que sofre influência diária pela rotação e translação da Terra. No presente trabalho propomos o uso de aplicativos de tecnologia móvel para o estudo prático do movimento aparente do Sol que seja independente das condições climáticas e disponibilidade de tempo para observação. Realizamos uma busca por aplicativos relacionados com a temática na loja virtual GOOGLE PLAY e encontramos 7 aplicativos gratuitos aos quais discutimos as funcionalidades e o uso para o estudo do movimento aparente do Sol através de gráficos e das informações de coordenadas horizontais de Altura e Azimute do Sol disponíveis. Analisamos numericamente e graficamente o comportamento da trajetória do Sol nas diferentes estações do ano tendo como referência a localidade de Uruguaiana/RS, considerando: (i) hora nascimento/ocaso; (ii) insolação; (iii) orientação do nascimento/ocaso em relação ao horizonte; (iv) variação da altura ao longo do dia. Constatamos que através do uso de aplicativos de tecnologias móveis é possível uma maior compreensão da variação geográfica e temporal do movimento aparente do Sol. 


Palavras-chave


Sol, astronomia, ensino, tecnologia móvel

Texto completo:

36-48

Referências


BRASIL. Ministério da Educação e do desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais terceiro e quarto ciclo do Ensino Fundamental: Ciências. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Curricular Comum Ensino Fundamental. Brasilia: MEC, 2017.

BERNARDES, A.O. Observação do Céu aliada à utilização do software Stellarium no Ensino de Astronomia em turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Revista Latino-Americana de Educação em Astronomia. n. 10 p. 7-22, 2010

RONAN, C.A. A História Ilustrada da Ciência: das origens à Grécia. V.1. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001

EVORA, F.R. Natureza e Movimento: um estudo da física e da cosmologia aristotélicas. Cad. Hist. Fil. Ci. Campinas, Serie 3, v. 15, p. 127-170, jan-jun. 2005

LANGHI, R. Educação em Astronomia: da revisão bibliográfica sobre concepções alternativas à necessidade de uma ação nacional. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. v. 28, n. 2, p. 373-399, ago. 2011.

LONGHINI, M. D.; MENEZES, L. D. D. Objeto virtual de aprendizagem no ensino de Astronomia: algumas situações-problema propostas a partir do software STELLARIUM. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. v. 27, n. 3, p. 443-448, dez. 2010.

OLIVEIRA FILHO, K.; SARAIVA, M.F.O. Astronomia & Astrofísica. 3ª ed. São Paulo: Livraria da Física, 2013. 784 p

SAMPAIO, T.A. ; RODRIGUES, E.S. Método Didático para o ensino de Astronomia : utilização do software Stellarium em conjunto com aulas expositivas no ensino médio. Revista Ciência & Desenvolvimento. V.8, n.2, p.87-97, 2015

LEITE, B.S. Aplicativos para dispositivos móveis no Ensino de Astroquímica. Revista Debates em Ensino de Quimica. v.3, n.1, p. 150-170, 2017

NEVE, B. G.; MELO, R. S. O Universo no bolso: tecnologias móveis de apoio didático-pedagógico para o ensino da Astronomia. Revista Novas Tecnologias na Educação, v.12, n.1, 2014

SILVA, M.; BATISTA, S.C.F. Metodologia de Avaliação: Análise da Qualidade de Aplicativos Educacionais para Matemática do Ensino Médio. Revista Novas Tecnologias na Educação, v.13, n.1, 2015

NICHELE, A.G.; CANTO, L. Ensino de Quimica com Smartphones e Tablets. Revista Novas Tecnologias na Educação, v.14, n.1, 2016

NICHELE, A. G.; SCHLEMMER, E. Aplicativos para o ensino e aprendizagem de Quimica. Novas Tecnologias na Educação, v.12, n.2, 2014


Apontamentos

  • Não há apontamentos.