(Des)encontros entre a Educação Popular e a Pedagogia social

Karine Santos, Fernanda dos Santos Paulo

Resumo


O texto relaciona duas importantes concepções teóricas no contexto brasileiro, a Educação Popular e a Pedagogia Social. A primeira concepção é concebida como manifestação que se constitui a partir da expressão das desigualdades sociais, cujo conceito apresenta uma dimensão política e pedagógica que sustenta o projeto de sociedade que defende; a segunda é reconhecida como uma disciplina pedagógica, gestada no âmbito da universidade, sendo identificada como uma área das Ciências da Educação. Relaciona um conjunto de saberes teóricos, técnicos e experienciais os quais são aplicados à Educação Social. Consideramos que ambas as concepções são referentes substantivos que inspiram o fazer educativo e pedagógico das práticas no campo social. Este identificado como um campo pedagógico específico para além dos espaços reconhecidos formalmente no campo da educação. O texto propõe um diálogo a partir de memórias das experiências de trabalho das próprias autoras e dos referentes teórico-metodológicos acima descritos. Explicita como categorias de análise compreensões acerca do ser e estar Educadora e Educador Social e Educadora e Educador Popular e localiza a dimensão profissional e militante que envolvem este tema. Freire, Caride, Caliman, Streck e Fichtner são referenciais importantes na tessitura dos diálogos aqui propostos. O argumento que defendemos é o de que a Educação Popular e a Pedagogia Social não são concepções teórico-metodológicas que possuem definições lineares, únicas e neutras. Ambas estão inscritas e produzidas em um contexto político, cultural e social multifacetado, mas que contribuem sobremaneira às práticas pedagógicas desenvolvidas no âmbito da educação no campo social.


Texto completo:

117-140

Referências


ANDREOLA, Balduíno. Radicalidade ética da Pedagogia do Oprimido. Disponível em: http://www.paulofreire.ufpb.br/paulofreire/Files/seminarios/mesa12-a.pdf. Acesso: 13/04/2017.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Cultura rebelde: escritos sobre a educação popular ontem e agora. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2009.

CALIMAN, Geraldo. A pedagogia social na Itália. In: SILVA, Roberto da; SOUZA NETO, João Clemente de; MOURA, Rogério Adolfo de. Pedagogia social. São Paulo: Expressão e Arte, 2009.

CARIDE, José. Antonio. La pedagogía social em España. In: NUÑEZ, V. La educación em tiempos de incertidumbre: las apuestas de la Pedagogía Social. Barcelona: Gedisa, 2002, p. 81-112.

FICHTNER, Bernd. Pedagogia social e trabalho social na Alemanha. In: MOURA, R., NETO, J. C.. de S. e SILVA, R. (Orgs). Pedagogia social. São Paulo: Expressão & Arte Editora, 2009, p. 43-50.

FICHTNER, Bernd. Educação Popular: uma visão europeia. In: STRECK, Danilo; ESTEBAN, Maria Teresa (Orgs.). Educação Popular: lugar de construção social e coletiva. Rio de Janeiro: Vozes, 2013.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 5 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, Paulo; GUIMARÃES, Sérgio. Aprendendo com a própria história v. 2. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo; NOGUEIRA, Adriano. Que fazer – Teoria e Prática em Educação Popular. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

GARCIA, Valéria Aroeira. O papel do social e da educação não formal nas discussões e ações educacionais, 2008. Disponível em: . Acesso: 10 dez. 2012.

IVO, Anete Brito Leal. A produção do novo “fetiche” no contexto da desregulação do mercado de trabalho. Disponível em: http://www.fundaj.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=547%3Aa-producao-do-novo-qfeticheq-no-contexto-da-desregulacao-do-mercado-de-trabalho-&catid=58&Itemid=414. Acesso em: 20 abril de 2017.

KOGA, Dirce. Medidas de cidades: entre territórios de vida e territórios vividos. São Paulo: Cortez, 2003.

MACHADO, Érico Ribas. O desenvolvimento da Pedagogia Social sob a perspectiva comparada: o estágio atual no Brasil e Espanha. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2014.

MOURA, Eliana Perez Gonçalves de; ZUCCHETTI, Dinora Tereza. Práticas socioeducativas e formação de educadores: novos desafios no campo social. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 18, n. 66, jan./mar. 2010, p. 9-28.

MORAES, Michelle Rodrigues de. O processo de assistencialização das políticas sociais e a seguridade social brasileira. Revista Temas e Matizes, v. 9, n. 17, 2010, p. 177-200.

PAULO, Fernanda dos Santos. ZITKOSKI, José Jaime. Educação Popular e questões contemporâneas. Aula pública no curso de especialização: Educação Popular e Movimentos Sociais. Brava Gente, POA-RS. (dezembro de 2015).

PAULO, Fernanda dos Santos; CONTE, Isaura Isabel; BIERHALS, Patricia Rutz. Educação popular e pedagogia social: um encontro possível no caso de Porto Alegre? Educação: Teoria e Prática/ Rio Claro/ Vol. 23, n.43, Mai-Ago. 2013, p. 128-144.

PAULO, Fernanda dos Santos. A formação dos (as) educadores (as) populares a partir da práxis: um estudo de caso da AEPPA. UFRGS-FACED, Programa de Pós-Graduação em Educação, Porto Alegre, 2013. (Dissertação/mestrado). 278p.

PAULO, Fernanda dos Santos. Pioneir@S da Educacão Popular Freiriana e a Universidade. Projeto de Tese (doutorado) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação Educação, 2016.

PAULY, Evaldo. Reflexões inspiradas pela educação popular sobre a LDB, ECA, moral, ontologia e formação para a cidadania. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 29., 2006. Anais... [S.l.]: 2006. Disponível em: . Acesso em: 29 nov. 2012

RIBEIRO, Marlene. Exclusão e educação social: conceitos em superfície e fundo. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, jan./abr. 2006, p. 155-178.

RIZZINI, Irene; BARKER, Gary; CASSANIGA, Neide. Políticas sociais em transformação: crianças e adolescentes na era dos direitos. In: Educar em Revista. n.15. Curitiba: Jan./Dec.1999. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40601999000100011

RIZZINI, Irene; PILOTTI, Francisco (orgs.). A arte de governar crianças: a história das políticas sociais, da legislação e da assistência à infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2011.

SANTOS, Karine. Intencionalidades em conflito: um estudo das práticas educativas de ONGs. Tese (doutorado) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação Educação, 2015.

SANTOS, Karine; LEMES, Marilene Alves. O sentido do trabalho educativo no campo social. Série-Estudos, v.21, n.43, set./dez. 2016. Disponível em: Acesso em março/2017.

STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena (orgs). Histórias e Memórias da Educação no Brasil. Vol. III. Petrópolis: Vozes, 2005.

STRECK, Danilo; SANTOS, Karine. Educação de Jovens e Adultos: diálogos com a Pedagogia Social e Educação Popular. In: EccoS – Revista Científica, São Paulo, n. 25, jan./jun. 2011, p. 19-37.

STRECK, D. R. Ligações esquecidas: requisitos para uma pedagogia social latino-americana. Revista Diálogos: pesquisa em extensão universitária. IV Congresso Internacional de Pedagogia Social: domínio epistemológico. Brasília, v.18, n.1, dez, 2012, p. 33-40.

THOMPSON, E. P. A formação da classe operária Inglesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, v. 3, 1987.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.