A relação força-movimento em um contexto histórico e sob a análise do PNLD

Bruna Kariny Silva, Marcos Cesar Danhoni Neves

Resumo


O objetivo desta pesquisa foi identificar o conceito de força mecânica presente em seis coleções de livros didáticos de Física do PNLD 2015. Para tanto, fizemos uma revisão histórica sobre o desenvolvimento do conceito de força, de Aristóteles à Newton, passando por Philoponus, Buridan e Descartes. A partir desta revisão, definimos nossas três categorias de análise: Aristotélica, Philoponus-Buridan e Cartesiana-Newtoniana. A metodologia utilizada para análise dos dados foi a Análise de Conteúdo de Bardin. Concluímos a partir da análise, que as seis coleções verificadas, apresentam elementos configurativos da categoria Cartesiana-Newtoniana, e que apenas uma delas, definiu primeiramente o conceito de quantidade de movimento para depois introduzir o conceito de força a partir desta, de modo análogo ao que é estabelecido no Principia de Newton. Outra conclusão importante foi que na maioria das coleções, encontramos exemplos que discutem a influência da força de atrito no movimento de um corpo, o que é fundamental para uma boa compreensão das leis newtonianas. E ao final, sugerimos três apontamentos metodológicos que consideramos importantes para o ensino da segunda lei de Newton.

 


Texto completo:

7-20

Referências


ARTUSO, Alysson Ramos; WRUBLEWSKI, Marlon. Física. São Paulo: Positivo, 2013.

BARBOSA, Roberto Gonçalvez. A teoria das representações sociais para estudo das concepções docentes no ensino da física em nossas escolas: a física Newtoniana. 2007. 49 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: 1977.

BLINI, Ricardo Brugnolle. A história da ciência nos livros didáticos: uma inserção descontextualizada. 2010. 106 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

BONJORNO et al. Física. São Paulo: FTD, 2013.

CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Física: uma proposta construtivista. São Paulo: EPU LTDA, 1989.

FRANKLIN, Allan. Principle of inertia in the Middle Ages. American Journal of Physics, v.44, p.529-545, 6 June 1976.

GASPAR, Alberto. Compreendendo a Física. São Paulo: Ática, 2013.

GOMES, Luciano Carvalhais. Concepções alternativas e divulgação: análise da relação entre força e movimento em uma revista de popularização científica. 2008. 127 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

KANTOR, Carlos Aparecido et al. Quanta Física. São Paulo: Pearson, 2013.

MARTINI, Gloria et al. Conexões com a Física. São Paulo: Moderna, 2013.

NEVES, Marcos Cesar Danhoni et al. Galileu fez o experimento do plano inclinado? Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v.7, n1. 2008.

PIETROCOLA, Maurício et al. Física – conceitos e contextos: Pessoal, Social, Histórico. São Paulo: FTD, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.